Páginas

31 de outubro de 2012

Dia da Reforma Protestante

- Eu Gosti -




Paz Hermanos e Hermanas, hoje dia 31/10 é o dia da Reforma Protestante, agradeça a Deus por não deixar o povo que o adora a mercê dos pilantras que cobravam indulgências a troco de uma falsa salvação, mesmo que hoje em dia fazem a mesma coisa mas não vamos generalizar, Martinho Lutero reformou a igreja, protestou contra a idolatria, contra essa venda da salvação, perdão, Martinho Lutero botou a cara pra apanhar e fazendo isso deu um exemplo a nós cristãos de como agir nos dias de hoje tambem, me lembro de Atos 17:11


Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, EXAMINANDO cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim. 

No contexto fala se dos Bereianos que ouviam a palavra de Deus e examinavam tudinho, e se não fosse biblico que se pregava o que seria que os Bereianos fariam? haha


Existe uma frase de Lutero: Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias.


Ser Bereiano hoje em dia, é ser um Cristão protestante contra falsos ensinamentos e doutrinas, Lutero foi um Bereiano porque examinou a palavra de Deus e viu se o que se pregava as pessoas naquela época era biblico, e como descobriu que a igreja católica na época enganava o povo, Lutero se revoltou, escreveu as 95 teses que ia contra ao que a igreja ensinava, Lutero reformou a igreja, hoje será que precisamos de reforma?


Se você quer saber mais sobre a reforma protestante vou postar agora um video que gosti muito do vlog do Vinny Lopes 







30 de outubro de 2012

Vá, pregue e morra!


São nas pequenas coisas que Deus se revela, mostra a sua vontade e muda vidas. Nós só precisamos estar atentos pra poder perceber os detalhes que Ele tem nos mostrado a cada dia.


Hoje na escola vi o filme “Diamante de Sangue” que mostra a luta de rebeldes e pessoas muito ricas atrás de diamantes, só que para conseguirem isso matam muitas pessoas, a maioria de tribos e cidades africanas, homens, mulheres, crianças.. todos inocentes. E em meio a tanto sofrimento naquelas cenas, o que mais me chocou foi qdo o Danny Archer(Leonardo DiCaprio)  um homem “branco” que também está atrás dos diamantes (e matando alguns pra isso), diz mais ou menos assim “Às vezes fico pensando se Deus algum dia perdoará nossos erros” e “Deus já foi embora daqui tem muito tempo..”. Se vc nunca viu nenhum filme que mostrasse as guerrilhas que acontecem na África, te convido a pelo menos imaginar e ter uma ideia de como é terrível viver num lugar em que rebeldes chegam a sua comunidade e matam a todos, roubam seus filhos e maridos, violentam suas mulheres.. e pensar que quem vive num ambiente assim tem todos os motivos pra crer que Deus não está mais ali faz tempo mesmo.
Mas o fato é que Ele está. E (apesar de ser só um filme, tudo isso são coisas que realmente acontecem, muito pior até do que o retratado pela industria do cinema) se esse é um povo que mesmo sendo tão sofrido continua a crescer tanto, deve ter algum motivo. E o motivo é que Deus os ama, assim como nos ama. Mas eles infelizmente não sabem e muitos nem fazem ideia de que existe Deus. Eles precisam crer em Cristo para serem salvos, “mas como crerão de quem nada ouviram? Como ouvirão se não há quem pregue?” (Rm 10:14), e tudo isso mexeu muito comigo porque me fez perceber o quanto os cristãos ocidentais são confortáveis, o quanto nossas mega igrejas nos fazem nos sentir bem aos domingos, e o quanto isso tem nos matado. Sim, o conforto, as facilidades e a vida boa que temos desse lado do globo tem nos sufocado a ponto de não enxergarmos como tem gente que precisa. Se tivesse um cristão verdadeiro ali perto daquele homem, ele poderia ficar sabendo que era só se arrepender e crer em Cristo que Deus perdoava os seus erros, se tivesse alguém ali que abandonou tudo pra poder gerar vida num país em que a morte é mais normal do que qqr outra coisa, ele saberia que Deus não tinha ido embora e muito pelo contrário, está querendo mudar e transformar as coisas.
Mas quem será essa pessoa? Quem largará sua vida boa, seus carros, suas faculdades e bons empregos? Quem são aqueles que amarão Cristo de tal forma que os fará largar suas vidas para poder morrer por Ele? Quem está disposto a talvez estudar 4 anos e depois ir ser missionário num desses lugares e morrer em menos de um ano? Alguém se habilita?
“Então Ele(Jesus) chamou a multidão e os discípulos e disse: ‘Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá; mas quem perder a sua vida por minha causa e pelo evangelho, a salvará. Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Ou, o que dará o homem em troca de sua alma?’ ” Mr 8:34-37
Palavras de Jesus. O que adianta trabalhar sua vida inteira e ser cristão por 50 anos se tudo o que conseguiu ajuntar foram tesouros que não poderá levar para a eternidade? Do que adianta negar a vontade de Deus e viver uma vida mesquinha que só quer saber dos próprios interesses, se Jesus já avisou que quem age dessa maneira perde sua vida? Os cristãos de hoje precisam dedicar suas vidas à morte. À morte de si mesmo, porque se não negar a própria vontade é impossível escutar a voz daquele que fala para nos dedicarmos a quem precisa.
Ainda agora, conversando com um amigo sobre o filme e tudo que Deus ministrou a mim, ele compartilhou de um dia em que eu, ele e mais alguns amigos estávamos discutindo sobre onde iríamos nesse feriado e naquele impasse do que íamos fazer, uns lugares que já estávamos enjoados e tal..ele falou que naquele momento pensou “tem crianças do outro lado do mundo sem comida e a gente aqui discutindo em como vamos nos divertir?!”. E eu acredito que é bem isso que às vezes passa no coração de Deus “Pessoas morrendo pra todo lado sem o evangelho e os que deveriam ser meus embaixadores discutindo futilidades!”
Que Deus tenha misericórdia de nós e nos leve a sonhar com o que Ele sonha. Que aqueles que conhecem a Cristo possam pesar em suas balanças espirituais e ver pra que lado de Marcos 8:34-37 está sua vida e se levantar pra poder mudar alguma coisa.

“A necessidade é tremenda! E eu não vou dizer que a necessidade é tão grande que Deus não conseguirá sem você. Deus conseguirá sem você. Mas, que perda! Que tamanha perda de alegria. Eu te convido para uma vida de verdadeiro sacrifício. E para uma vida de alegria sem igual e cheia de glória. Alguns de vcs jovens, precisam pensar sobre isso, vocês precisam pensar sobre sair por aí e pregar o evangelho, sofrendo por Cristo e saboreando com esse sofrimento.. Vale a pena sofrer por Ele, jovem e não desperdice a sua vida! Saia por ai e pregue o evangelho! Vá para o campo, pregue o evangelho onde só existem trevas, pregue o evangelho de Jesus Cristo! Jovem..vá para algum lugar e morra! Que apenas Deus e o inferno saibam seu nome. Deus porque Ele te ama e seu Espírito é poderoso sobre você, e o inferno porque ele te odeia. VÁ, PREGUE E MORRA!”                        Paul Washer


God Bless.

Blog:http://quebrandobarreirasnpj.blogspot.com/
Twiiter: @arlenekanaki

26 de outubro de 2012

5 Mentiras que a "igreja" me contou [3]

 

A vida cristã e as falsas promessas

Promessas. Vivemos num mundo que perdeu a consideração pela palavra falada. Se te prometeram alguma coisa, que foi não foi registrado por escrito, isto não tem o menor valor para nossa sociedade. Entretanto, nem sempre foi assim, mas houve um tempo no qual as palavras faladas tinham peso, e alguém poderia morrer caso não cumprisse o prometido.

Talvez, por saudosismo, ou por teimosia mesmo, algumas pessoas ainda vivem de acordo com este paradigma. E fazem muito bem, afinal Jesus nos desafiou a darmos credibilidade às nossas palavras quando disse que nosso “sim” deveria ser SIM, e nosso “não” deveria ser NÃO. Nada de meias palavras ou promessas vazias.

Acontece que este trauma pela falta de credibilidade das palavras faladas tem levado muitos cristãos a prometerem coisas que Deus nunca prometeu, ou pior, dar credibilidade a uma ideia que jamais foi pretendida por nenhum escritor bíblico.

Recentemente vi numa dessas fan pages do Facebook a seguinte frase: “Quem tem promessa de Deus não morre antes de ver todas elas cumpridas em sua vida”. Este tipo de argumento na Filosofia é chamado de falácia. Uma falácia é um argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na capacidade de provar eficazmente o que alega (Wikipedia). É um argumento ineficaz, pois sabemos que existem muitos cristãos que morrem no mundo todo que não chegaram a ver seu filho de volta ao Evangelho, por exemplo. Portanto, não há como comprovar que esta ideia seja verdade se apenas um cristão morrer nestas condições. O que diríamos dele? Que não tinha promessas?

Este argumento, além de ineficaz, é também inconsistente e não possui fundamento nas Escrituras. Ora, se a frase acima se propõe a ser um “Pensamento de crente”, de acordo com a descrição da Fan Page no Facebook, é de se esperar, no mínimo, que tenha seu alicerce na Bíblia, o livro dos crentes. Logo, vamos ver o que a Bíblia diz sobre Promessas e morte. O livro de Hebreus no capítulo 11 nos traz a galeria dos heróis da fé. E bem no finalzinho do capítulo o autor diz que todos eles, apesar do seu testemunho de vida, morreram sem alcançar a promessa. Portanto, a frase em destaque, embora sirva como uma espécie de autoajuda, não reflete o padrão bíblico, especialmente em virtude da maioria dos textos bíblicos terem sido escritos quando os cristãos passavam por grandes períodos de perseguição e ameaças de morte.

Logo, ao promover este tipo de pensamento, alguns cristãos perpetuam a falta de credibilidade da palavra falada ao transformar as palavras da Bíblia em promessas vazias que jamais serão cumpridas pela simples razão que nunca foram, de fato, uma promessa

Diretamente do blog Juvemetodista Por Alexandre Milhoranza

25 de outubro de 2012

O Marido do Futuro

- Humor -


Primeiramente eu entendi o que a moça quis dizer... mas confesso que dei altas risadas depois que fiz essa pergunta e ficou todo mundo tentando me explicar a frase dela e tal;

menos uma leitora pro blog =/

23 de outubro de 2012

5 Mentiras que a "igreja" me contou [2]

 

A vida cristã e a sede pelo poder

O ser humano deseja o poder. Sua vontade de dominação sobre o próximo pode ser vista desde a infância, quando um irmão tenta manipular o outro. Este comportamento pode ser observado nas empresas, onde, por meio dos trâmites corporativos, as pessoas querem que seu próximo se submeta aos seus caprichos. A noção de equipe perde facilmente para este primitivo instinto humano. Para alcançar este objetivo, inúmeras estruturas e processos sociais foram criados. Em todas as instituições sociais existem mecanismos que preveem a manipulação do próximo para subjugá-lo à dominação daqueles que estão no topo da hierarquia. A Igreja não é uma exceção a esta regra.

Como toda instituição social, a Igreja também criou seus mecanismos de dominação. Algumas pessoas, quando assumem uma determinada função de liderança, visando o fortalecimento de sua posição e a inerrância de suas sugestões (que soam mais como uma ordem), usam o trecho de Efésios 5.21-23 para legitimar sua tentativa de dominação sobre seu irmão. Neste trecho, Paulo ensina que todos devem ser submissos uns aos outros.

Essa passagem pode ser entendida sob o ponto de vista da humildade e esta interpretação também é correta. Entretanto, somente este sentido deixa margem para o líder, mencionado acima, argumentar que todos os outros devem ter humildade suficiente para acatar suas ordens e sugestões. Apesar do clima de mal-estar, todos acabam concordando por não terem argumentos melhores contra esta clara tentativa de manipulação. Contudo, ao verificarmos a palavra que Paulo usou originalmente para se comunicar com os efésios, quando tratou sobre a submissão, daremos outro sentido ao texto, que poderá ser aplicado por todos os cristãos sem deixar tanta margem para falsas interpretações.

O termo que Paulo usa para demonstrar que os efésios deveriam ser submissos uns aos outros remete ao sentido de “estar posto embaixo como um suporte”. Isto é, a posição de estar embaixo, com o significado de humildade apenas, deixa de lado a razão principal pela qual Paulo escreve, que é servir como um suporte uns aos outros. Portanto, o sentido principal deste texto não é a humildade, mas o serviço cristão. Isso fica mais claro nos versículos seguintes, quando Paulo lembra o amor e serviço que Cristo demonstrou à Igreja, que deveria seguir este exemplo.

Imagine uma mesa sem o seu suporte. Seria inútil não? A existência do suporte em si mesmo não tem muita lógica e, em contrapartida, a tábua da mesa sem um sustentador não tem muita serventia. A mesa estará completa apenas com a tábua e o suporte juntos. Este é o sentido de estar submisso que Paulo usa aos Efésios. Esta interpretação é reforçada pela linguagem que Paulo utiliza durante toda a carta, comparando a Igreja com o corpo humano, no qual cada membro tem sua função e nenhum deles dá ordens impostas aos outros membros. Aliás, no corpo humano, o único órgão que efetivamente dá as ordens é o cérebro, que fica na cabeça. Mas, de acordo com Paulo aos colossenses, o cabeça da Igreja é Cristo; e não qualquer cristão em particular, com suas tentativas de manipulação do seu próximo.

Que o Senhor te abençoe e te guarde.


Diretamente do blog  Juvemetodista Por Alexandre Milhoranza

22 de outubro de 2012

Opinião é igual bunda

 
 
Engraçado como alguns crentes gostam do tal versículo do "não julgueis". Levanta um pastor com uma teoria um pouco diferente, um discurso mais atrevido ou estranho, e começa a disputa. De um lado, crentes rebatendo e criticando; do outro, crentes defendendo o famigerado ungido do Senhor. E no meio, a turma do deixa-disso, sempre dizendo que não é legal crente criticar crente, que isso promove a desunião do corpo de Cristo, e  sempre sai o bendito "não julgueis".

Por que esses caras têm tanto medo de um bom debate? Sempre acreditei que convicções de verdade não temem questionamentos. Não há nada de errado em rebater quem pensa diferente da gente. Acho até que é uma postura bem saudável, desde que o interesse seja realmente debater ideias, conhecer opiniões contrárias, e não convencer a todo custo que outro está errado e que você é o dono supremo da verdade e do saber. Esses que fazem isso sim, são tremendos babacas. E existem aos montes.

Mas a crítica em si não é errada. Ainda mais quando a crítica é feita pra defender o Evangelho. Apologética! Defender a fé! falem o que quiser, xinguem até cansar, mas eu vou julgar sim todo aquele que pregar uma mensagem diferente do puro Evangelho de Cristo. E vou citar nomes sim, sempre que eu achar necessário. Levante-se contra a Palavra de Deus e eu me levanto pra protestar.

O amado, idolatrado, salve salve, Martinho Lutero ficou famoso e escreveu seu nome na história da Igreja porque protestou. O apóstolo Paulo criticou todos os que ensinaram doutrinas erradas ou tiveram posições indesejadas dentro da Igreja. Bateu boca com o apóstolo Pedro quando foi necessário. Criticou as pessoas que insistiam em não considerá-lo um apóstolo. Puxa, até Jesus julgou os fariseus que emporcalhavam a fé dos judeus! Diz que Jesus estava errado que eu quero ver!

Todos nós podemos errar, nós somos falhos, e as críticas e debates servem pra purgar nossa crença dessas falhas que podem surgir a qualquer momento. Não tenha medo de criticar, muito menos de ser criticado. Isso é importante pra que o corpo de Cristo cresça. Com respeito e humildade, os debates de opiniões contrárias só rendem frutos bons. Mas se não quiser, pode continuar seguindo a tese de que opinião é igual bunda: cada um tem a sua. E dá quem quer.
 
Diretamente do blog PROSA DE CRENTE

O Pastor [41]

- Humor Cristão -

10 de outubro de 2012

Melhores comentários da internet

- Humor Cristão -

Começa hoje a nova série do blog, postaremos toda semana os comentários que receberam mais destaques na internet, opinem e digam o que acham


Dê a sua opinião (Só não fique de MIMIMI)

9 de outubro de 2012

Caracterísitcas de uma fé infantil

http://4.bp.blogspot.com/-gLt0gnkqs_g/UALgHfT45hI/AAAAAAAAAyQ/tT0Lio2eVVI/s1600/man-child.jpg
 
-> Achar que Deus ficará bravo se não cumprir certos rituais
 
-> Achar que Deus ficará contente se fizer tudo "direitinho"


-> Achar que Deus dará tudo, desconsireando sua própria vontade, só porque cumpre-se certos ritos.



-> Achar que a oração é uma espécie de "alavanca" que move Deus.

Ou seja, é como uma criança que enxerga em um pai uma espécie de papai noel, que dará presentes se se comportou bem e tirou notas altas durante o ano.

Uma fé madura sabe que um pai não pode (nem deve) dar tudo que um filho pede e sabe também que o amor de seu pai não depende de nada bom ou ruim que o filho tenha feito, mas sim do próprio amor que o pai tem por seu filho, por simplesmente ser seu filho.

 

6 de outubro de 2012

5 Mentiras que a "igreja" me contou [1]







 


A vida cristã e a tirania das metas

Metas, objetivos e alvos numéricos, quem está livre deles hoje? Vivemos em uma sociedade massacrada pelos números. Em sua empresa você está moralmente obrigado a produzir cada vez mais sob risco de demissão caso falhe no cumprimento de suas metas. Na escola ou na faculdade seus professores exigem uma quantidade mínima de leitura e produção acadêmica, além da tirania dos ponteiros da balança que insistem em jogar na sua cara que você não está cumprindo a meta do peso ideal. Os números te sufocam. Os números te acusam insolentemente.


Entretanto você encontra em sua comunidade de fé um ambiente acolhedor, livre da opressão dos números e das metas, certo? Infelizmente isso nem sempre é verdade, pois, algumas igrejas acham que a grande comissão dada por Jesus está atrelada ao cumprimento de metas numéricas. “Você deve trazer durante este mês pelo menos uma pessoa não salva!” – pedem alguns líderes. “Quantas almas você ganhou para Jesus no ano passado?” – acusam outros. E, onde deveria ser um ambiente de restauração e refrigério, acaba tornando-se outro lugar para o cumprimento de mais tarefas e metas. Os números te acusam até mesmo na igreja.

A justificativa que muitos líderes dão está supostamente baseada no texto de João 15. “O crente deve dar frutos, senão será cortado da árvore!” - asseveram os feitores dos números. Certa vez, ouvi de um destes pastores numerólogos que os frutos que Jesus menciona neste trecho são as almas que ganhamos para o Reino de Deus. “E agora? Ainda não levei ninguém a Cristo este ano” – preocupa-se aquele irmão dedicado e envolvido com a obra de Deus. “Eu testemunhei, mas ninguém se converteu.” – confessa ele ao seu travesseiro. “Eu convidei meus vizinhos e parentes para o musical anual da Igreja, mas ninguém aceitou meu convite” – desabafa com sua pesada consciência.

Ao mesmo tempo em que a meta de quantas “almas” ganhamos para Jesus é apresentada também ouvimos que o Evangelho liberta. E isso causa confusão e frustração na mente de muitas pessoas que desejam viver uma vida cristã coerente. Porém, este conceito de um evangelho baseado em metas numéricas pode ser desfeito pelo estudo do contexto de João 15.

Nesta passagem Jesus diz que seus discípulos devem dar frutos, e isso é incontestável. Mas a qual fruto Jesus está se referindo? Uma leitura cuidadosa vai nos mostrar que Jesus esta falando do amor que seus discípulos devem mostrar uns aos outros, tal como o próprio Jesus mostrou por eles. Aqui Jesus sequer menciona o processo de evangelização que tomamos como certo para gerar tais frutos. Jesus não condiciona o discipulado a qualquer método numérico, nem projeta um sistema de crescimento por meta alcançada.

Jesus nos liberta da tirania das metas e dos números ao nos mandar amar ao próximo e não condiciona nossa ligação ao tronco com o cumprimento ou não da meta. Nossa ligação com o tronco está condicionada ao amor que temos uns pelos outros, pois, se não amamos aqueles a quem vemos como poderemos amar a quem não vemos? Se não temos amor uns pelos outros não temos o amor do Pai, e, se não temos o amor do Pai, logo não estamos ligados ao tronco.

Portanto, o fruto não é uma meta numérica de quantas almas ganhamos para Jesus, mas o ideal de uma vida de amor pelo próximo.

Que o Senhor te abençoe e te guarde.