Páginas

27 de setembro de 2012

Quero ganhar o Troféu Promessas

Atenção seguidores do twitter, irmãos da Igreja e amigos do Facebook, vamos combinar uma coisa:
Eu faço de conta que não pedi nada a vocês, e vocês fazem de conta que não ouviram nada.

Vocês fazem de conta que foi iniciativa espontânea e acessam o site do Troféu Promessas.
Aí vocês votam tipo 50 ou 100 vezes cada um pra fazer de conta que foram muitas pessoas diferentes que votaram em mim.
O Comitê Organizador fica satisfeito porque fez de conta que seu Troféu mobilizou votos de milhões de pessoas, e todo mundo fica feliz!
Eu faço de conta que estou ansioso pelo resultado, mesmo sabendo que outros artistas fazem o mesmo.

Não se esqueçam, todos nós estamos fazendo de conta que nada disso está acontecendo.

Vocês podem, tipo assim, fazer de conta que estão preocupados com minha ansiedade, e até podem mobilizar uma campanha de oração por mim, e Deus...bom...não posso afirmar que Deus faz de conta que ouve...mas tudo bem vai...

Aí então eu recebo o Troféu de "faz de conta", e tento fazer de conta que minha mediocridade nunca existiu.
Aliás posso concorrer com uma música americana, tipo versão em português, e receber o troféu no Brasil fazendo de conta que o compositor americano é tonto...bom...vá lá...americano é tudo tonto mesmo...

Vocês fazem de conta que ficaram espantados com a minha vitória, e fazem de conta que sou uma bênção.
Daí eu dou testemunho dizendo que Deus me honrou, fazendo de conta que eu nunca soube que tudo foi combinado, tipo Lula, e até deixo cair umas lágrimas de "faz de conta"
A Mídia Gospel faz de conta que sou um sucesso, e publica o fato, e eu faço de conta que acredito que sou incrível.
Quem sabe até um programa de auditório me convide pra mostrar o Troféu fazendo de conta que a gravadora não pagou jabá pra eu estar lá...já pensou!
Aí eu digo que até os ímpios estão reconhecendo o valor da música evangélica, e eu faço de conta que foi a minha "unção" a responsável por tal feito.

Coitado só do povo né...que consumirá o meu CD, sem saber do "faz de conta", mas tudo bem...eles são café com leite.
Meu Deus! Vai ser demais!!!!

Nós todos fazemos de conta que nosso mundico gospel é poderoso e que nosso mercado é sério.
Podemos ainda fazer de conta que isso não é idiotice.
Podemos fazer de conta que somos felizes e que isso é um avanço...
Depois fazemos de conta que foi bênção vinda dos céus, e louvamos a Deus em agradecimento, cantando minha música é claro...aquela americana que eu fiz uma versão em português pra concorrer como melhor canção gospel no Brasil, lembra?

Deus, que por sua vez não teve nenhuma participação nisso, não consegue fazer de conta que não viu nossa infantilidade...paciência...
Mas nós que vivemos no mundo de "faz de conta", fazemos de conta que tá tudo certo, afinal de contas esse reino que inventamos é o país das Maravilhas, e nós??...nós somos Alice, é lógico...quer dizer, fazemos de conta que somos, é claro.

Na premiação todos estarão lá; o Coelho branco de colete a Lagarta azul, a Duquesa, a Rainha de copas e o Gato de Cheshire.
O Chapeleiro maluco nos avisará quando for a hora do chá, e a Lebre de março e o Arganaz vão ajudá-lo no cerimonial.
Todos sabem que a Tartaruga é falsa, mas dançam assim mesmo na quadrilha da Lagosta.

Ai meu Deus...será que conseguiremos algum dia correr o risco da simplicidade?

"...difícil é viver a vida assim sem aventura, deixar ser pelo coração...se é loucura, então melhor não ter razão..."

Amigos cantores e artistas, não se ofendam com o humor ácido das palavras de um pobre maluco como eu que faz de conta que é pensador.
Se fiz mal, é fácil resolver o problema...afinal, depois de tanto "faz de conta", basta fazer de conta que eu nunca escrevi nada, e tá tudo certo.

Zé Bruno 
Diretamente do facebook da banda resgate

25 de setembro de 2012

Abra mão

“Jesus entrou em Jericó, e atravessava a cidade. Havia ali um homem rico chamado Zaqueu, chefe dos publicanos. Ele queria ver quem era Jesus, mas, sendo de pequena estatura, não o conseguia, por causa da multidão. Assim, correu adiante e subiu numa figueira brava para vê-lo, pois Jesus ia passar por ali. Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: ‘Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje’. Então ele desceu rapidamente e o recebeu com alegria. Todo o povo viu isso e começou a se queixar: ‘Ele se hospedou na casa de um ‘pecador’ ‘. Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor: ‘Olha, Senhor! Estou dando a metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais’. Jesus lhe disse: ‘Hoje a salvação entrou nesta casa! Porque este homem também é filho de Abraão. Pois o Filho do homem veio buscar e salvar quem está perdido.” Lucas 19:1-10


            Não fazia nem uma hora que Zaqueu havia tido um encontro com Jesus e já estava dividindo seus bens com os pobres e se arrependendo dos pecados e reparando os erros. Ele havia acabado de conhecer o Deus Homem e a vida dele já mostrava frutos de arrependimento(Mt 3:8). As pessoas criticaram, olharam com rabo de olho e se magoaram porque elas talvez fossem muito santas e o Santo não quis se hospedar na casa delas e sim na casa daquele “pecador”. Jesus vem nos mostrar com isso que todos somos iguais e que Ele não faz distinção, porque Ele conhece o coração de todos. Ele sabe a maldade e a vontade que habita dentro de cada um e por isso mesmo Ele sabia que aquele havia sido o momento escolhido pelo Pai pra transformação daquela vida e consequentemente, da sua família (v.9).
            Jesus chamou e Zaqueu simplesmente foi. E foi tão real e tão intenso que causou uma mudança tão rápida. Nós, muitos com anos de Igreja, com não sei quantos versículos decorados, com a bíblia lida inteira umas três vezes, não conseguimos entregar tudo o que Zaqueu entregou. Não conseguimos desgarrar de coisas tão simples e menores do que aquilo que imediatamente Zaqueu quis largar. Ele logo identificou a raiz do que o afastava de Deus e tratou de se desfazer daquilo o mais rápido possível. Mas e nós? Tantas vezes percebemos erros gigantescos, outros nem tão grandes assim, e não temos coragem de abrir mão, de se deixar ser moldado, ser transformado e de ouvir Jesus dizer: “Hoje a salvação entrou nessa casa!”. Porque a salvação entra quando o Espírito toca e somos convencidos do pecado; mas depois disso, é necessário haver um abandono do pecado e uma mudança de vida.
Está disposto?
                                                             
Twitter: @arlenekanaki

Queremos poder !!

- Humor Cristão -

18 de setembro de 2012

14 de setembro de 2012

Cantores cobram direitos autorais de hinos cantados dentro das igrejas!

 

Todos viram a nova "palhaçada" da Rede Globo chamada de "Festival Promessas" onde alguns cantores evangélicos se uniram para fazer seus shows e gravar seus  e DVDs em parceria com a rede de católica que mais odeia e humilha os evangélicos no . Ninguém entendeu nada. Nós entendemos, não se trata mais de Ministério de LOUVOR, agora é Ministério de DINHEIRO.
Eis aí a prova de que o dinheiro fala mais alto para alguns cantores que se dizem "convertidos: o Bispo Walter McAlister da igreja Nova Vida,  revela sobre a cobrança dos direitos autorais por alguns cantores evangélicos que não aceitam o uso de suas músicas nas igrejas de graça
 Diretamente de apocalipseuniversal

Segue abaixo o texto na íntegra com a denúncia:

Soube hoje que as Igrejas Cristãs Nova Vida, da qual sou o Bispo Primaz, foram notificadas de que teriam de pagar direitos autorais pela execução de músicas de “louvor” nos seus cultos. Cada uma de nossas igrejas ficaria, assim, responsável por declarar o número de membros e a frequência aos seus cultos, para que fosse avaliado o imposto a ser pago ao Christian Copyright Licensing International (CCLI), sociedade que realiza a arrecadação e a distribuição de direitos autorais decorrentes da execução pública de músicas nacionais e estrangeiras. Por sua vez, o CCLI repassaria o valor devido aos compositores cujas músicas estão cadastradas. 
São poucas as vezes em que me vejo sequestrado por um assunto do momento aqui no blog. Tenho como norma pessoal não me deixar levar pelas “últimas”.  Já há bastante alvoroço em torno de assuntos efêmeros e não precisam da minha voz para somar à confusão instaurada por “notícias” e controvérsias. Não obstante essa regra que tento seguir, não posso me calar ante esse fato. Já deixei passar algumas horas até que a minha revolta se acalmasse, para que, no seu lugar, pudesse me expressar com clareza e me reportar às Escrituras como regra. Pois, em meio ao transtorno, ninguém se contém e acaba por pecar pelo excesso. Isso não quer dizer que me sinta menos convicto sobre o que tenho a dizer, mas quero realmente trazer uma perspectiva lúcida.

Comecemos pelo que constitui o direito autoral e o porquê da sua existência. Seria justo que alguém lucrasse pelo trabalho, a inspiração e a arte de outro sem que o autor da obra participasse dos lucros? Certamente que não. Cada emissora de rádio, show ou outro tipo de empreendimento com fins lucrativos deve prestar a devida parcela do seu lucro a quem ajudou a produzir essa arte.

Por outro lado, a Igreja é um empreendimento com fins lucrativos? Não – segundo a definição do próprio Estado brasileiro. Ela goza de certos privilégios, na compreensão de que a sua atividade é religiosa, devota e piedosa e, sendo assim, sem fins lucrativos. Que muitos “lucram” em nome da Igreja ninguém duvida. Mas, em termos estritamente definidos pela legislação, não é um empreendimento que tenha como finalidade o lucro.

Louvar a Deus é uma atividade que gera rentabilidade? Também não. Quando cantamos ao Senhor, estamos nos expressando a Deus em sacrifício santo e agradável a Ele (se bem que não caem nesta categoria muitas das músicas que doravante serão objeto de taxação, por decreto-lei). Mas, para manter o fio da meada desta reflexão, suponhamos que as músicas adocicadas, sem fundamento em qualquer real princípio cristão, emotivas e, em alguns casos, passionais (para não dizer sensuais) sejam realmente louvor (algo que tenho tentado ensinar a nossa denominação que não são).  Cantar essas músicas traz lucro para a igreja? A resposta é não. A igreja não lucra. Não há um centavo a mais caindo nas salvas porque cantamos uma música de uma dessas cantoras gospel da moda em vez de Castelo Forte. É possível fazer um culto fundamentado apenas nas músicas riquíssimas do Cantor Cristão e da Harpa Cristã (para não falar nos Vencedores por Cristo, cuja maioria das canções não recai sobre este novo decreto-lei).

Esses cantores e essas cantoras têm o apoio de empresários da fé. Homens que também lucram absurdamente às custas da boa-fé de pessoas a quem prometem uma vida de lucro pelo seu envolvimento. Não me surpreende ver a lista de “notáveis” que apoiam essa iniciativa.

Agora, esses cantores que se venderam para emissoras de televisão, que ganham fortunas nas suas turnês “gospel” e pela venda de incontáveis CDs e DVDs, não estão satisfeitos. Querem mais. Querem “enterrar os ossos”. Tornaram-se mercadores da fé, e com essa última cartada, suas máscaras caem por terra. Que máscaras? As que fazem com que acreditemos que eles realmente creem que o culto é para Deus somente. Para eles, a igreja não passa de de lucro. A igreja não passa de um negócio. Sim, porque, por essa ação, afirmam não acreditar que a igreja seja uma assembleia de sacrifício. Para eles, a igreja é uma máquina de dinheiro. Sua eclesiologia é clara. Suas lágrimas de comoção são teatro. Seus gestos de mãos erguidas não passam de encenação.

A despeito do meu repúdio por esse grupo de músicos “cristãos”, fico grato a eles por uma razão. Tenho tentado ensinar a denominação que lidero a ser mais criteriosa na escolha das músicas cantadas nos cultos. Por força da popularidade desses “superastros do louvor” a pressão da juventude e dos músicos da igreja tem sido quase insuportável. Então cantam as músicas sem devocionalidade real deles e delas para o enlevo de pessoas que nem precisavam confessar Jesus para cantá-las com comoção. Graças ao mercantilismo dos tais, vou emitir uma circular para as nossas igrejas em que instruirei todas a pagar os direitos autorais devidos caso queiram insistir em usar as referidas músicas da moda em seus cultos.

Os que não querem fazer parte desse mercado de rapina receberão uma lista compreensiva de músicas que continuam sendo de domínio público, inclusive as que compus e pelas quais nunca recebi nem quero receber um centavo. Graças a Deus, são os bons e velhos hinos que têm conteúdo e substância, confissão e verdadeiro testemunho do Evangelho. Há centenas de hinos antigos que vamos tirar das prateleiras e redescobrir. Podemos aprendê-los e retrabalhá-los para torná-los atuais aos nossos dias, com arranjos interessantes. Músicas escritas por santos e não por crianças. Músicas escritas para a glória de Deus e não para lucro sórdido. Sim, falei sórdido. Pois os atuais já lucraram com o que é legítimo. Agora vão atrás do resto. É um gospel de rapina. Sinto-me na necessidade de tomar um , pois essa história me forçou a passear pelo lamaçal onde esses chafurdam para encher a própria barriga – que é o seu deus, afinal.

Que bom que já me acalmei, pois realmente tinha vontade de dizer muito mais. Na paz, +W

Twittada's #6

-

12 de setembro de 2012

Transformai-vos


“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Romanos 12.2


                Transformação. É bem isso que Deus tem desejo de fazer com nossas vidas, tanto que Ele tem nos dado todas as oportunidades e meios possíveis para que isso aconteça(1Pe 1:3). Nesse feriado participei de um encontro regional de UPA’s (União Presbiteriana de Adolescentes), chamado REUPAS que reuniu uns 900 adolescentes do RJ, SP, ES e MG e o tema foi bem esse do título, baseado em Romanos 12.2. Acredito que nasceu no coração de Deus a vontade de realizar esse encontro e foi Ele mesmo quem fez brotar no coração dos líderes toda a vontade e as direções do evento.

                Só Deus sabe o quanto esses dias foram especiais pra uma porção de adolescentes que ali estavam. Conseguir enxergar ao decorrer dos dias a mudança que estava envolvendo a galera foi simplesmente demais! Se pra mim já foi maravilhoso ver, imagina pra Deus! E com tudo que vivi, tudo que fui ministrada e pude ministrar, a cura de um problema interior que eu já vinha carregando há um tempo, as amizades no Senhor feitas, os laços estreitados, a presença tão forte de Deus naquele lugar… com tudo isso, eu só posso dizer a você que ainda existe chance pra você. Ainda existe chance pra você receber de Deus, pra você se encontrar com Ele e pra você sentir o amor dEle em sua vida, limpando e curando todas as suas feridas, te fazendo alguém diferente.

Transformai-vos. Isso é o que a Palavra diz, e pra sofrer essa transformação também é preciso força de vontade, trabalho e expectativa no Senhor. Eu criei expectativas, e elas foram mais que superadas! Deus agiu muito mais do que eu pensei! (.) E Deus nos proporciona isso, é só querer! É só dizer “Deus, eu estou disposto a te amar além de mim mesmo, além do meu egoísmo, da minha vida vazia e chata, eu quero TE SERVIR!” Fala de coração e busca isso pra ver se algo diferente não acontece! Decida amar a Deus sem esperar nada em troca, decida ler a bíblia e aplica-la em sua vida, porque o evangelho e toda a bíblia se resume à prática, sem prática a Bíblia é só mais um livro jogado na estante pegando poeira. Decida viver a Palavra! Decida colocar todo seu coração na oração. Tome uma posição, decida que não dá mais pra viver essa vida de crente medíocre, de mente dividida, que envergonha o evangelho, que envergonha Deus. Decida não se contaminar (Dn 1:8).

Eu vi uma galera chegando de um jeito e indo embora de outro, eu vi uma galera dizendo no primeiro dia “Eu tenho namorado, mas aquele menino ali é um gato ein!” e no último estar com o olhar angustiado de ver tantas meninas se entregando a um beijo descompromissado. Eu vi gente indo pro encontro escutando toda sorte de músicas indecentes e feias no mp3, e depois de uma mensagem deletando todas essas sujeiras. Eu vi pessoas chegando de um jeito e indo embora de outro. Eu vi o mover de Deus. Eu vi lágrimas escorrendo, eu vi joelhos no chão. Eu vi uma geração que Deus quer levantar, mas pra fora dos limites daquele sítio, pra fora dos limites do galpão de cultos. É uma galera que vive o evangelho, que ama a Palavra, que ora como um homem às portas da morte, que chora na presença de Deus e ao mesmo tempo ri, que decide honrar os pais mais do que suas vontades egoístas. E isso, eu acredito firmemente que Deus deseja não só para aqueles que participaram desse e de tantos outros encontros transformadores. O Senhor quer isso pra todo mundo! Ele quer isso pra todos que dizem o servir, pra todo que dizem ser a Igreja dEle. Queira isso pra sua vida também!

                Nada paga a maravilha que é exaltar a majestade de Deus, que é ver a vontade dele sendo realizada. Experimente isso e veja se você algum dia vai voltar a ser o mesmo.

God Bless!

Twitter: @arlenekanaki

O Homem que quebrou a corrente

- Humor Cristão -

 

Fatality!

10 de setembro de 2012

O Pastor [35]

- Humor Cristão - 



A Criação do Euniverso


Já parou para pensar no quanto o primeiro capítulo de Gênesis é profundo? Aparentemente é só uma descrição do

mundo antes de vivermos aqui. Mas olhe com mais atenção, perceba, sinta… A descrição inicial do mundo não se parece muito com a nossa condição antes de encontrarmos a Deus? ÉRAMOS SEM FORMA E VAZIOS. Éramos tão vazios que procurávamos nos completar com qualquer coisa: jogos, livros etc., mas nada disso parecia mudar nossa condição de mar profundo.
É quando Deus entra em cena! Ele andava sobre a superfície das águas, SUAS ÁGUAS esperando a chance de mudar de vez o rumo desse mundo em caos que éramos nós. Ele se apresentava de várias maneiras; através  daquela senhorinha chata que vivia cantando música de crente e falava que você deveria conhecer a JESUS e blá ,blá… ou até mesmo naquele folhetinho besta que um homem engravatado e de falar simples te deu, ou naquela música que em um momento triste de sua vida te consolou.
Aí surge a grande chance: O Espírito Santo te dizia de várias maneiras o quanto te amava o quanto Ele pode fazer por você , e você respondeu a Ele:
-O Senhor pode mesmo me tirar dessa escuridão? Pode fazer – me diferente? Mas olha que só tem água aqui em volta!
- Pode deixar comigo! Eu sei bem o que fazer por você!
Primeiro Ele trouxe luz à sua vida. Te permitiu ter uma nova visão, um novo olhar sobre tudo à sua volta. Trouxe clareza às coisas que você não podia entender e te fez enxergar a verdade.
Depois te ensinou a discernir os fatos. Separou o céu do mar e da terra seca para que um dia você não se sentisse confuso. Guardou as promessas dEle na “terra”, a purificação no “mar” e Glória dEle nos Céus.
Você está crescendo e amadurecendo na fé. Está ficando diferente. Não é mais o caos que todos conheciam, e agora já se pode ver o brilho do céu, o azul do mar e a terra seca em você. Por mais diferente que você esteja agora, Deus ainda quer adicionar alguns detalhezinhos. Na terra seca fez com que as árvores frutificassem. Depois vieram os animais para completar, adornando seu sorriso, o brilho dos seus olhos, preenchendo sua existência de vida! Da vida dEle! E por último te deu a autoridade para ter outros filhos na fé e espalhar – se pela terra.
Um grande abraço de sua irmã em Cristo
Sílvia Cristina
Post original do Blog O livro de provérbios

7 de setembro de 2012

Sobre Dons Espirituais

Segundo alguns expoentes, os dons dividem-se em ordinários e extraordinários. Na primeira classificação incluem-se os dons de natureza comum. Na segunda encontramos aqueles dons de caráter sobrenatural. Esses dons extraordinários são aqueles nove alistados em I Coríntios 12:8-10:


1) palavra da sabedoria,
2) palavra do conhecimento, 
3) fé,
4) curas,
5) operação de milagres, 
6) profecia, 
7) discernimento de espíritos,
8) variedade de línguas,
9) interpretação de línguas.

I- DIVERSIDADE DE DONS

O Apóstolo Paulo, comentando sobre os dons espirituais, afirmou: “Ora há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo”. E ele continua dizendo: “E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos” (I Co. 12:4,6). Esta lista de dons, seguindo termos funcionais, pode ser dividida em três grupos, conforme segue abaixo: 

1 - Dons de Revelação: Revelar significa: Tirar o véu; desvelar; fazer conhecer; divulgar; fazer conhecer sobrenaturalmente. Incluem a Palavra da Ciência, Palavra da Sabedoria e o Discernimento de espíritos.

2 - Dons de Poder: Trata-se da virtude do Espírito; concedem poder para agir sobrenaturalmente. Inclui os Dons de Curar, Operação de Maravilhas e Fé.

3 - Dons de Expressão: Expressão, nesse caso, refere-se à capacidade para falar de maneira sobrenatural. Inclui a Variedade de Línguas, Interpretação das Línguas e Profecia.

II- DONS DE REVELAÇÃO

1 - Palavra da sabedoria - Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento; (I Co 12:8): Por esta expressão entende-se pronunciamento ou da declaração de sabedoria. Revelação ou expressão de Deus, análoga à ocasião. Necessidade de conhecer e saber “como” - para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; (Ef 1:17-19), o qual, em outras gerações, não foi dado a conhecer aos filhos dos homens, como, agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito, (Ef 3:5), e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como igualmente o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, ( II Pd 3:15), A sabedoria, porém, lá do alto é, primeiramente, pura; depois, pacífica, indulgente, tratável, plena de misericórdia e de bons frutos, imparcial, sem fingimento. (Tg. 3:17).

2 - Palavra do conhecimento - Porque a um é dada, mediante o Espírito, a palavra da sabedoria; e a outro, segundo o mesmo Espírito, a palavra do conhecimento; (I Co 12:8) É um pronunciamento ou declaração de fatos, inspirado dum modo sobrenatural. Em suma é saber algo que Deus sabe, saber acerca de Deus, ou acerca de outras pessoas, ou situações, e que vem somente por revelação divina - porque, em tudo, fostes enriquecidos nele, em toda a palavra e em todo o conhecimento (I Co. 1:5), Como, porém, em tudo, manifestais superabundância, tanto na fé e na palavra como no saber, e em todo cuidado, e em nosso amor para convosco, assim também abundeis nesta graça. (II Co. 8:7), para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele (Ef. 1:17), Enquanto meditava Pedro acerca da visão, disse-lhe o Espírito: Estão aí dois homens que te procuram; levanta-te, pois, desce e vai com eles, nada duvidando; porque eu os enviei. (At 10:19-20). Entretanto, certo homem, chamado Ananias, com sua mulher Safira, vendeu uma propriedade, mas, em acordo com sua mulher, reteve parte do preço e, levando o restante, depositou-o aos pés dos apóstolos. Então, disse Pedro: Ananias, por que encheu Satanás teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, reservando parte do valor do campo? Conservando-o, porventura, não seria teu? E, vendido, não estaria em teu poder? Como, pois, assentaste no coração este desígnio? Não mentiste aos homens, mas a Deus. Ouvindo estas palavras, Ananias caiu e expirou, sobrevindo grande temor a todos os ouvintes. (Atos 5:1-5).

3 - Discernimento de espíritos - a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. (I Co 12:10): Este dom dá capacidade à pessoa para distinguir, para julgar se é o Espírito de Deus que está atuando ou não na vida de uma pessoa. Esse dom capacita o possuidor para “enxergar” todas as aparências exteriores e conhecer a verdadeira natureza duma inspiração ou ação.
Aconteceu que, indo nós para o lugar de oração, nos saiu ao encontro uma jovem possessa de espírito adivinhador, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação. Isto se repetia por muitos dias. Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando: retira-te dela. E ele, na mesma hora, saiu. (Atos 16:16-18).

III- DONS DE PODER

1 - Fé - a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; (I Co 12:9): Este Dom é uma dotação especial do poder do Espírito. Parece vir sobre alguns servos de Deus em tempos de crise e oportunidades especiais duma maneira tão poderosa, que não deixa dúvidas de que foi a ação de Deus que se fez presente. Podemos dizer que é esse tipo de fé que nos dá a palavra da divina autoridade. Ao que Jesus lhes disse: Tende fé em Deus; porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele. (Mc 11:22-23). Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! (Atos 3:6). Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. (Jo 14:12-13)

2 – Milagres - a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. (...)A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. (I Co 12:10 e 28): Literalmente: energia poderosa, poder dinâmico, força divina. Um poder sobrenatural, onde o poder divino é manifestado fora do comum, extraordinariamente. Outras palavras são usadas para designar esse dom: maravilhas, sinais, prodígios. Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E costumavam todos reunir-se, de comum acordo, no Pórtico de Salomão. Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor, a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles. (Atos 5:12-15). E Deus, pelas mãos de Paulo, fazia milagres extraordinários, a ponto de levarem aos enfermos lenços e aventais do seu uso pessoal, diante dos quais as enfermidades fugiam das suas vítimas, e os espíritos malignos se retiravam. (Atos 19:11-12), por força de sinais e prodígios, pelo poder do Espírito Santo; de maneira que, desde Jerusalém e circunvizinhanças até ao Ilírico, tenho divulgado o evangelho de Cristo, (Rm. 15:19)

3 - Dons de curar - a outro, no mesmo Espírito, a fé; e a outro, no mesmo Espírito, dons de curar; (...) A uns estabeleceu Deus na igreja, primeiramente, apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois, operadores de milagres; depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas. (I Co 12:9,28): Literalmente: Livramento das doenças, das piores enfermidades, males incuráveis. Dizer que uma pessoa tenha os dons, significa que são usados por Deus duma maneira sobrenatural para dar saúde aos enfermos por meio da oração. Não se deve entender que quem possui esse dom tenha o poder de curar a todos; deve dar-se lugar à soberania de Deus e à atitude e condição espiritual do enfermo. Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes; para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças. (Mt 8:16-17). Desde que há mundo, jamais se ouviu que alguém tenha aberto os olhos a um cego de nascença. Se este homem não fosse de Deus, nada poderia ter feito. Mas eles retrucaram: Tu és nascido todo em pecado e nos ensinas a nós? E o expulsaram. Ouvindo Jesus que o tinham expulsado, encontrando-o, lhe perguntou: Crês tu no Filho do Homem? (Atos 9:32-35)

IV- DONS DE EXPRESSÃO:

a outro, operações de milagres; a outro, profecia; a outro, discernimento de espíritos; a um, variedade de línguas; e a outro, capacidade para interpretá-las. (I Co 12:10)

1 - Profecia: Falar claramente, anunciar. A profecia, geralmente falando, é expressão vocal inspirada pelo Espírito Santo de Deus. A profecia bíblica pode ser mediante revelação da Palavra do Senhor. Pode também ser extática, uma expressão de inspiração do momento (Atos 11:27,28; 13:1,2; 21:10,11). Significa também falar numa linguagem do poder do Espírito Santo. O propósito deste dom é edificar, exortar, confortar, instruir, consolar (I Co. 14:3,4,31). As profecias devem ser julgadas (I Co. 14:29) mas não desprezadas (I Ts. 5:20).

2 - Línguas: Também conhecida como “variedade de línguas”. O Dom de Línguas é o poder de falar sobrenaturalmente em uma língua nunca aprendida por quem fala, sendo essa língua feita inteligível aos ouvintes por meio do Dom igualmente sobrenatural de interpretação.

Seu propósito:

- Para sinais - Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; (Mc 16:17). 
- Para a edificação pessoal - O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, mas o que profetiza edifica a igreja. (I Co 14:4).
- Para edificação, no culto público - Assim, também vós, visto que desejais dons espirituais, procurai progredir, para a edificação da igreja. Pelo que, o que fala em outra língua deve orar para que a possa interpretar. (...) Que fazer, pois, irmãos? Quando vos reunis, um tem salmo, outro, doutrina, este traz revelação, aquele, outra língua, e ainda outro, interpretação. Seja tudo feito para edificação. No caso de alguém falar em outra língua, que não sejam mais do que dois ou quando muito três, e isto sucessivamente, e haja quem interprete. Mas, não havendo intérprete, fique calado na igreja, falando consigo mesmo e com Deus (...)Portanto, meus irmãos, procurai com zelo o dom de profetizar e não proibais o falar em outras línguas. Tudo, porém, seja feito com decência e ordem. (I Co. 14:12,13,26-28,39,40).

3 - Interpretação de línguas: Explicar, tornar conhecido o sentido da língua ou a sua significação. O propósito do dom de interpretação é tornar inteligíveis as expressões do êxtase inspiradas pelo Espírito Santo que se pronunciaram em uma língua desconhecida da grande maioria presente, repetindo-se claramente na língua comum ao povo congregado (I Co. 14:5). 

V- O PROPÓSITO DOS DONS ESPIRITUAIS

1 - Para “um fim proveitoso” (I Co. 12:7): Para unificar o Corpo - os membros - da Igreja (I Co. 12:11-26). Para edificar a congregação (I Co. 14:12,26). Para julgar (I Co. 12:25).

2 - Edificação (I Co.14: 12,13): O propósito dos dons é a edificação da igreja, para encorajar os crentes e converter os descrentes (Atos 1:8).

3 - Para que o mundo veja os sinais (Mc. 16:15-18; Hb. 2:4): Para manifestar a glória de Jesus (Jo. 2:11). Para confirmar a Escritura e aumentar a fé (Jo. 2:22,23). Para convencer e converter (I Co. 14:24,25). Para testificar de Jesus (Jo. 10:25). Para a Glória de Deus (Mt. 9:8). Para a confirmação de Jesus como o Messias (Mt. 11:2-6). Para mostrar a natureza compassiva de Jesus (Mt. 14:14). 

VI- A MANEIRA CORRETA DO USO DOS DONS ESPIRITUAIS

Conforme o apóstolo Paulo, ou os dons são usados com amor, ou serão ineficazes para a Igreja (I Co. 13:1-13). O capítulo 14 de I Coríntios expõe os seguintes princípios para esse desempenho espiritual:

1 - Valor proporcional (vs. 5-10): Os coríntios haviam-se inclinado demasiadamente para o Dom de Línguas, certamente por causa de sua natureza espetacular. Paulo lembra-lhes que a interpretação e a profecia eram necessárias para que o povo pudesse ter conhecimento inteligente do que se estava dizendo.
Segundo alguns expoentes, os dons dividem-se em ordinários e extraordinários. Na primeira classificação incluem-se os dons de natureza comum. Na segunda encontramos aqueles dons de caráter sobrenatural. Esses dons extraordinários são aqueles nove alistados em I Coríntios 12:8-10:
2 - Sabedoria (v. 20): Paulo diz: “Irmãos, não sejais meninos no entendimento”. Em outras palavras: “Usai o senso comum. Não sejais como crianças em vossa capacidade intelectual”.

3 - Autodomínio (v. 32): Aquele que possui o dom de línguas e profecia pode dominar sua expansão e falar unicamente a Deus, quando tal domínio seja necessário.

4 - Suscetível de ensino (vs. 36,37): Infere-se desses versos que alguns dos coríntios haviam ficado ofendidos pela crítica construtiva de seus dirigentes.

5 - Ordem (v. 40): O Espírito Santo não inspirará aquilo que seja desordenado e vergonhoso. Quando o Espírito Santo está operando, há uma comoção e harmonia, de tal forma que todos que participam são edificados.

Twittada's #5

-