Páginas

31 de janeiro de 2012

As 5 expressões evangélicas mais sem sentido usadas nas Igrejas

- Repense e Reflita -


Segue a lista de expressões que perderam (ou nunca tiveram) o sentido ao longo das experiências “cristãs” ensinadas pelas Igrejas.

5 – EXORTAR
Essa expressão é usada de modo equivocado em 100% das Igrejas. Segundo qualquer dicionário, exortar significa “animar, incentivar, estimular”. Logo, exortar o irmão que está em pecado na verdade não significa repreende-lo. Quem está vivendo no erro não precisa de um incentivo, mas de um auxílio.

4 – LEVITA
Essa morreu no Antigo Testamento. Os Levitas eram descendentes da Tribo de Levi, e eram encarregados de TODO O SERVIÇO no Templo. Mas Levita tem sido usado como sinônimo de músico. Besteira pura! Pra começar a música no serviço levítico era a menor das tarefas. A faxina, organização e carregar peso nas costas, isso sim era a parte mais importante do trabalho. Levando em conta que não somos judeus, não somos descendentes daquela tribo e também lembrando que o Templo não existe mais, então estamos dispensados do serviço levítico. Músico é músico. Ponto.

3 – PROFETA
Segundo a Bíblia, profeta é aquele que revela a vontade de Deus ao povo. Simples assim. Porém tornou-se comum considerar que profeta é uma espécie de adivinho. Heresia pura! Considerando que TODA A REVELAÇÃO está em Cristo Jesus e que o conhecimento acerca desta revelação está contida nas Escrituras, um profeta legítimo não deve adivinhar nada, mas proclamar de maneira compreensível as coisas que estão contidas na Palavra de Deus. Por isso Paulo afirma que o dom de profetizar é o dom mais excelente. E se você ainda paga pau bajula os adivinhos, lembre-se que ADIVINHAÇÃO é pecado.

2 – UNÇÃO
Como dizem por aí, UNS SÃO, outros NÃO SÃO. Agora falando sério… a expressão unção virou clichê na boca de crente. É unção disso, unção daquilo… tudo sempre buscando atender ao interesse economico; ou garantindo o controle das massas sob o pretexto de que UNÇÃO É PODER. Pra começar no Novo Testamento a palavra unção só é usada no sentido de afirmar que Cristo está em nósLogo, ter unção é ter Cristo. Em todos os outros contextos, há ensinos explícitos sobre o ato de “ungir” pessoas, que seria orar com óleo, pedindo a Deus por curas específicas. Há algum poder neste óleo? Não mesmo. Mas é bom lembrar que no contexto bíblico, óleo também era considerado remédio para muitas doenças.

1 – ATO PROFÉTICO
Essa é a campeã da lista de heresias. Se sua igreja usa essa expressão, então a teologia por aí tem sido profundamente contaminada com valores neopentecostais. Pra começar não existe a expressão “ato profético” na Bíblia. Essa expressão surgiu na verdade como uma tentativa de disfarçar o conceito de podemos fazer coisas que “movem a mão de Deus” na direção de nossos desejos. Ou seja, heresia pura.

Meu conselho é… cuidado com as expressões. Por que as mínimas coisas podem revelar grandes besteiras. Vão com Deus!

Ops! Como alguém poderia ir “sem Deus”, se Deus é onipresente e está em todos lugares mesmo antes de eu pensar em me mover?

Diretamente do Blog Ariovaldo Jr

Crente que é crente [2]

- Humor Cristão -

Depois da maravilhosa brincadeira no twitter ----- VEJA AQUI ----- Está na hora de conhecer mais sobre o crente que só crê no que convém, mas que desacredita do que parece impossível/distante de conseguir, que crê em qualquer um que diz: "Eu sou de Deus, creia em tudo que eu disser e serás ricamente abençoado" e desacredita naqueles que dizem: "A Bíblia é a palavra de Deus, só ela é a verdade absoluta" 

Veja algumas tirinhas reveladas pelo dom do humor do @ProfetadaGospel, o blog mais Illuminati do mundo!

CRENTE QUE É CRENTE...

Curtiu comenta, não curtiu comenta o/

30 de janeiro de 2012

Jornal Emvaogelical #1 Bispa Sônia esperança

- Humor Cristão - 




Noticias fictícias de uma realidade não tão distante  




O Jornal voltado para o mundo gospel sempre noticiando de uma forma engraçada e polêmica -



Não deixe o pecado dominar você !

Ontem você pisou na bola... falou o que não devia, entrou na rua erada, apaixonou-se pela pessoa errada, reagiu de forma inadequada.
Falou quando devia ter escutado, se apressou quando devia ter esperado, julgou quando devia ter confiado, entregou-se quando deveria ter resistido. Depois que você comete um erro, surge em você um certo sentimento estranho, talvez seja culpa, medo, raiva, vergonha ou tudo isso misturado em poço de nojo e depressão.
E tudo que você quer fazer é esconder-se de Deus, esperar ate que o sentimento passe, você prefere ouvir uma musica, ou assistir uma TV para simplesmente esquecer-se de tudo. Provérbios 28:13 diz :''O que encobre as suas transgressões nunca prosperará.. '' e sabemos que isso não é bom. 
Para você é loucura demais ir até Jesus e pedir ajuda... afinal, foram tantos erros, tantos pecados!
Mas a palavra de Deus diz em 1ª João 2:1 :Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis; e, se alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo.  (outras referências Romanos 8:34).


Jesus defende você diante do Pai. Então o que você está esperando... Chame-o ! Ele esta pronto e somente esperando por uma iniciativa sua!!!
Vá correndo direto para a presença dEle, confesse o seu pecado e receba o seu perdão. 
Não deixe para depois... o pecado pode paralisar você, e às vezes, nos impedir de falar com Deus. Seu erro nunca é tão grave a ponto de não poder receber o perdão de Deus. A misericórdia de Deus encobre as transgressões.Quanto mais você esperar, mais propicio ao pecado você fica, e por consequência mais longe de Deus . O pecado te joga em um abismo. Por isso não entre nessa viagem... Não deixe o pecado dominar você.Assim como na história de Davi que pecou e depois se arrependeu  você também pode.( salmo 51)

"Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles." 
Hebreus 7:25



Texto escrito por Caroline Luiza no dia 23/12/2012


No amor de Cristo,
Rachel Cristina

Existe Ministério Profético?



A Paz do Senhor meus hermanos, por algum tempo essa duvida estava em minha cabeça, pois muitos pregadores famosos diziam que existem profetas como antigamente existiu, que é um ministério a ser exercido,  que nossa voz é profética, que nossa adoração é profética e etc... leiam a pergunta da Vanessa e a reposta que o Pastor Ciro Sanches deu a ela:


Vanessa, 21 anos, pergunta


A paz do Senhor, pastor! Hoje em dia está tudo tão banalizado, que eu não sei mais o que tem respaldo bíblico e o que não tem. Segundo o meu pai, o ministério profético acabou no Antigo Testamento e, hoje em dia, temos apenas o dom de profecia. Mas tem muita gente fazendo atos proféticos, louvor profético, intercessão profética... e, dizendo que todos nós somos profetas, ordenam: “Profetiiizaaaa!” Afinal de contas, o que é profeta, profecia e ministério profético?


Pastor Ciro responde
Olá, Vanessa! Ah, meus 21 anos! É bom saber (risos) que uma jovem como você se interessa pelo estudo da Palavra de Deus. Gostaria que soubesse que recebi todas as suas perguntas e procurarei respondê-las na medida do possível. E essa primeira é muito pertinente.

Concordo com você quanto à grande banalização da profecia, em nossos dias. Tudo é profético. Aqui no Rio de Janeiro certo grupo “evangélico” escalou o Dedo de Deus, na Região Serrana, a fim de ungi-lo. Para quê? Para declarar “profeticamente” que esse Estado é do Senhor Jesus! Há algum tempo, certa cantora disse ter usado botas confortáveis para pisar “profeticamente” na cabeça do Diabo, etcétera e tal.

Bem, deixando de lado modismos e efemeridades, você me fez uma tríplice pergunta — “Afinal de contas, o que é profeta, profecia e ministério profético?” — e merece uma resposta igualmente tripartida. No Novo Testamento temos dois tipos de profeta: o que exerce oministério, isto é, o ofício de profeta (1 Co 12.29; Ef 4.11); e o que é usado com o dom de profecia (1 Co 14.29-32).

O dom de profecia está à disposição de todos os servos de Deus (1 Co 14.31); trata-se de uma capacitação sobrenatural do Espírito, concedida ao crente, em geral durante o culto coletivo (1 Co 14.26-30), a fim de que ele transmita uma mensagem de edificação, consolação ou exortação à igreja local (1 Co 14.3). Já o ofício de profeta diz respeito a um ministro, um pregador dado por Deus à Igreja (Ef 4.11-15; At 15.32; 21.10).

Segue-se que há dois tipos de profeta e, conseqüentemente, duas modalidades de profecia. O pregador chamado por Deus (1 Tm 2.7), ao expor a Palavra, é usado pelo Senhor para falar da parte dEle (1 Co 11.23). Mas o dom de profecia não requer chamada específica. Qualquer crente, desde que seja um “vaso preparado” (2 Tm 2.20,21), cheio do Espírito Santo (Ef 5.18) e revestido de poder do alto (Lc 24.49; At 1.8; 2.1-4), pode transmitir uma mensagem profética.

Quanto ao ministério profético, é importante fazer aqui um esclarecimento. O Senhor Jesus, ao afirmar que os profetas e a lei profetizaram até João Batista (Mt 11.13), referiu-se ao ministério profético nos moldes do Antigo Testamento. Ou seja, apesar de João Batista aparecer no Novo Testamento, ele teve um ministério similar ao exercido pelos profetas dos tempos veterotestamentários. Portanto, conforme demonstrei acima, existe sim ministério profético em nossos dias.

Quem ainda consulta certos “profetas” quanto a viagens, casamentos, sexo do bebê, etc. é porque ainda não aprendeu que há diferença entre os profetas (e os seus modos de profetizar) dos tempos do Novo e o do Antigo Testamentos. Hoje, não há mais a necessidade de se consultar profetas, como ocorria antigamente (1 Rs 22.15-28; Jr 37.16,17), pois temos a Bíblia completa (Sl 119.105; Rm 15.4; 2 Tm 3.16,17). Ademais, em nossos dias, o Espírito Santo fala como e quando quer, e não quando queremos que Ele fale (1 Co 12.11).

Diante do exposto, Vanessa, se você já está pensando em casamento — deve estar, pois as mulheres depois dos 20 já começam a imaginar que ficarão para “titias” —, não dê ouvidos a “profecias casamenteiras”...

A paz do Senhor!


Diretamente do Pastor Ciro Responde


O Pastor [12]

- Humor Cristão - 


Amém Pastor!

28 de janeiro de 2012

Análise do "Encontro": é tremendo! - Parte 4







O ENCONTRO

No horário marcado, na sexta-feira, nos reunimos no local pré-determinado. Ali, existe um grupo, que é denominado de “equipe de trabalho”, composto por diversos irmãos que já participaram do Encontro e que estão tendo a honra de servir trabalhando. E, posso assegurar, o trabalho dessa equipe é pesado. Uma parte fica responsável por acompanhar todos os seminaristas (as pessoas que estarão participando do Encontro), na viagem até a chácara onde se realizará o evento. A equipe de trabalho está orientada a servir da melhor maneira possível. Desse modo, eles são quem ficam encarregados de levar as malas dos seminaristas até o ônibus e, ao chegar à chácara, distribuir a bagagem nos lugares devidos, normalmente pré-ordenados.

Os seminaristas já descem da chácara e se encaminham diretamente para a capela (lugar onde serão realizadas as palestras). Entretanto, logo na chegada, normalmente, os seminaristas são recebidos com aplausos e fogos de artifício, pelos componentes da equipe de trabalho que ficam aguardando-os no local de realização do encontro. Tudo tem que sair perfeito.

Ao entrarmos na capela, recebemos um caderninho para anotações e caneta. É tudo muito bem organizado. E o pregador da noite já fica posicionado para introduzir a palestra. Como em todo evento, existem todas as cordialidades pela participação de cada um. E, de mesmo modo, cada um dos seminaristas são supervalorizados naquele local, com palavras de lisonjeio, e aquela, corriqueira, massagem de egos.

1. Sexta-Feira à noite – Peniel

A primeira ministração recebe o nome “Peniel”, em referência ao conhecido texto sagrado que nos conta a história de quando o Jacó lutou com o Senhor (teofania), para que fosse abençoado (Gn 32.22-33). A palestra, em suma é levada para o seguinte sentido:

a) o lugar onde há um encontro com Deus é um lugar de luta;
b) em referência ao caráter de Jacó, aquele Varão lhe pergunta seu nome, indicando que queria uma confissão de Jacó por todos os seus pecados;
c) por último, assim que Jacó pronuncia o seu nome, o anjo lhe abençoa e modifica seu nome para Israel.


Quem era Jacó e o que Aconteceu em Peniel?

Pois bem, é necessário compreendermos estas bases interpretativas para analisarmos se existe algum equívoco bíblico nestas afirmações. Primeiramente, não posso deixar de considerar que, quando Jacó, após atravessar o vau de Jaboque, se encontrou com o Senhor (teofania), houve uma intensa luta. Aliás, o texto literalmente diz que Jacó lutou com aquele Varão (Gn 32.24). Conquanto se possa conceber que existe uma luta interior travada entre a carne e o espírito (Rm 7.17,18), percebemos que essa luta não se resumiu a Deus. Ora, o próprio Homem, com quem Jacó lutou, no verso 28 do texto em análise, afirma que seu nome seria mudado para Israel, pelo fato de Jacó ter lutado com Deus e com os homens, prevalecendo. Existe sempre uma leitura falha deste texto. Se fizermos um estudo profundo, percebemos que a figura daquele Homem, com o qual Jacó luta, na verdade se revela como uma teofania, ou seja, uma manifestação humana e visível de Deus, que podemos concluir sendo a figura do próprio Cristo (1Tm 2.5; 1Jo 4.3; 2Jo 1.7). Entretanto, o nome Israel, realmente significa aquele que luta com Deus.

Contudo, até agora não percebemos equívocos doutrinários. Entretanto, quando chegamos à interpretação que a pregação em análise revela do verso 27, constatamos uma exponencial heresia aliada a descontextualização, seguida de uma inverdade absurda. Segundo tal ministração, o motivo de Deus ter perguntado a Jacó “qual o seu nome?”, se dá em face da necessidade de Jacó confessar o seu caráter para que Deus pudesse operar. Tudo bem que quando temos um contato com Deus, por meio de Sua Palavra, todo o nosso pecado começa a ser revelado. Mas, a descontextualização se dá pelo significado falso que é atribuído ao nome de Jacó.

Segundo essa palestra, o nome Jacó, significa: mentiroso; enganador; usurpador; falso etc. Entretanto, nenhum destes adjetivos, se aplica ao nome Jacó. Você quer saber, realmente qual o significado do nome Jacó? Em pesquisa à Wikipédia, encontramos o seguinte significado:
O nome Jacó ou Jacob deriva do latim Iacobus, que por sua vez é uma latinização do nome hebreuYa'akov (יעקב), que significa literalmente "aquele que segura pelo calcanhar".
De fato, sabe-se que Jacó teria nascido segurando o calcanhar de seu irmão gêmeo Esaú. O mesmo termo poderia também ter o sentido de suplantar, em alusão ao prato de lentilhas que toma Jacó em lugar de Esaú, quebrando um direito de primogenitura, pelo qual o prato corresponderia a seu irmão, nascido alguns minutos antes.

Até aqui, tudo bem. Podemos ainda duvidar da veracidade das informações contidas na Wikipédia. Contudo, em uma análise mais profunda, compreenderemos melhor toda esta questão em relação ao nome.

Primeiramente é necessário informar que, por diversas vezes, temos visto pregadores dizendo, tanto na TV, rádio e em outras ministrações que o nome Jacó quer dizer “enganador, mentiroso, trapaceiro”. Eu, realmente, depois de estudar com afinco toda essa questão, fico boquiaberto, pois se trata de uma heresia, um engano ensinado, levando pessoas ao erro. É evidente que nenhum filho do Altíssimo necessita de advogado, porque o próprio Cristo advoga por eles, por isso não estou aqui com o intuito de defender Jacó, mas sim trazer uma visão bíblica sobre o nome, a honra e o caráter deste servo de Deus.

Desse modo, vamos analisar o significado do nome de Jacó: “Deus de Avraham (Abraão), Yitzack (Isaac) e Ya’akov (Jacó)”. É de se admirar o porque de o próprio Deus, por meio da boca de seus profetas, continuarem chamando Ya’akov de Ya’akov, e não de Israel, não é mesmo? Analisando pelo fato de o nome Jacó ter um significado tão terrível, porque poderia, então, ser tão honrado nas páginas sagradas? Na verdade, quem inventou que o nome de Jacó significa mentiroso e trapaceiro, simplesmente trouxe uma terrível contradição à Palavra. Quando a Bíblia trata do “Deus de Jacó”, então está tratando do Deus dos mentirosos e trapaceiros? Bem, o meu Deus é Deus sobre todas as coisas, mas o “deus” dos mentirosos é o “deus” deste século (2Co 4.4; Jo 8.44).

Na verdade, nós não encontramos o som de JOTA no nome Jacó. Desse modo, o nome Jacó é Ya’akov, que significa suplantador.

E o que é suplantar?
su.plan.tar(lat supplantare) vtd 1 Meter sob a planta dos pés; calcar, pisar: Suplantar a grama, as folhas. 2 Prostrar aos pés (o vencido); derrubar: Suplantar o adversário. 3 Levar vantagem a, ser superior a; exceder, sobrelevar, vencer: Jacó suplantou Esaú e o anjo. Dic. Michaelis- on line.
Diferentemente de seus pais, Jacó desde o nascimento já lutava com seu irmão, o qual representava uma nação que não serviria a Deus. Desse modo, Jacó batalhava para alcançar uma posição que só poderia ser atingida por meio de luta, esforço e fé. Assim, a vontade divina para Jacó, envolvia uma luta que se travava desde o nascimento, a fim de que o caráter de Jacó refletisse ao Deus Eterno, de modo que seu povo refletisse o caráter de Deus. Por isso entendemos o porquê do verso 28:
(Gênesis 32:28) - Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.

Desse modo, podemos compreender o nome Jacó como sendo: aquele que luta e vence. Exatamente isso! Os próprios profetas revelam a Deus como o Senhor dos Exércitos (1Sm 1.3,11; 4.4; 15.2; 1Rs 18.15 etc.). Embora grande parte de nós não fomos ensinados corretamente acerca do significado do nome Ya’akov; pelo contrário, sempre ouvimos que Deus mudou a sorte de um trapaceiro, mentiroso para aquele que luta com Deus; tudo isso, após um estudo profundo, percebemos que é uma heresia, uma mentira e até mesmo um desrespeito com o próprio Senhor e com a Sua Palavra. Devemos nos lembrar que o povo de Deus é destruído pela falta de conhecimento (Os 4.6).

Na verdade, a grande confusão que se revela entre nós, se dá pela falta de conhecimento do hebraico. Uma vez que mal interpretamos o texto descrito em Gn 27.36:
(Gênesis 27:36) - Então disse ele: Não é o seu nome justamente Jacó, tanto que já duas vezes me enganou? A minha primogenitura me tomou, e eis que agora me tomou a minha bênção. E perguntou: Não reservaste, pois, para mim nenhuma bênção?
Desse modo, seguindo uma interpretação mais literal, chegaremos à seguinte: “Não se chama aquele que vai e consegue o que quer suplantando, visto que já me enganou duas vezes?” Percebemos Esaú proferindo uma acusação falsa contra Jacó, uma vez que, este, nunca o enganou. Na verdade, Jacó enganou a seu pai, Isaque, mas não a seu irmão.

Alguns interpretam esta atitude como impulsiva como a causa da inimizade entre Jacó e seu irmão. Porém, a profecia desde o começo dizia: dois povos se dividirão. Esaú e Jacó eram divididos desde antes de nascer. Não havia paz entre os dois. Não existe comunhão entre a luz e as trevas, entre quem ama a Deus e quem não O ama.

Por causa do modo como a bênção da primogenitura foi conquistada, Jacó abriu uma brecha na sua vida. Precisava ser tratado nisto.

Por conseguinte, Jacó foi buscar uma esposa entre as filhas de Labão, em obediência a seus pais. Jacó, ao contrário de Esaú, que buscou filhas nos povos que aborreciam a Deus só para ferir seus pais, obedecia-os. Então, Deus revela-se a Jacó em uma visão esplêndida. E fala com ele: “Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei tornar a esta terra” (Gn 28.15). Jacó, demonstrando temor a essa visão, chama aquele lugar de Casa de Jeová. E, em adoração, faz o voto de dar a décima parte do que tem a Deus, caso a Sua Palavra se cumpra (Gn 28.17-22).

Jacó chega ao oriente, na terra de Labão, vê Rachel e a escolhe por esposa. Labão, por sua vez, aplicou uma lei divina sobre Jacó, definindo o período de escravidão. Desse modo, por sete anos Jacó serviu a Labão pela esposa escolhida. No entanto, Labão fez com Jacó o mesmo que ele e sua mãe haviam feito com seu pai, Isaque. Enganou-lhe, aproveitando-se da escuridão (Gn 29.23-25). Assim como Isaque não pôde ver a Jacó, Jacó não pôde ver a Lia. E a tomou por esposa. Percebendo o engano, chegando-se a Labão, este lhe propôs mais um ciclo de escravidão por Raquel. Deus estava tratando o pecado de Jacó. O pecado inicial de Jacó foi não compreender o propósito de Deus para sua vida, tentando facilitar as coisas para Deus.

Alguns, valendo-se de uma argumentação frágil, dizem que Jacó enganou a Labão, quanto à estratégia que lhe trouxe acréscimo a seu rebanho. O primeiro fato é que foi Labão quem convidou a Jacó que trabalhasse com ele. E em segundo lugar, Labão, percebendo a prosperidade de Jacó, fecha-lhe o semblante, mas Deus era com Jacó desde o início (Gn 31.1-6). Isso demonstra que Jacó não estava agindo fora da vontade de Deus, pelo contrário, Deus corroborava sua estratégia.

Labão, pelo contrário, foi injusto com Jacó desde o início. Jacó, por sua vez, submeteu-se à Labão, ainda assim. Mesmo sendo confrontado por Labão, Jacó argumenta informando que é um homem livre e submete-se à vontade de Deus, saindo das terras de Labão.

Creio que uma leitura profunda de todo o ocorrido poderá revelar a nós que, em nenhum momento, Jacó foi injusto ou mentiroso com Labão. Pelo contrário, recebeu de Deus o dia da provação e foi aprovado em todas as suas atitudes, por Deus. Não há que se falar do caráter de Jacó, quando o próprio Deus aprovou suas atitudes em relação a seu tio. Contudo, nesta época, Deus tratava o pecado de Jacó, quando enganou a seu pai, Isaque.

Diante do exposto, é possível perceber alguns dos equívocos doutrinários e hermenêuticos da ministração ora analisada.

Acerca da Confissão de Pecados

Falaremos agora acerca da confissão de pecados.

Segundo a apostila, Peniel é um lugar de confronto com Deus. É um lugar de dor onde Deus nos vai revelar o nosso verdadeiro caráter e, conseqüentemente, nos mudar. Para isso, é necessário nós nos lembrarmos dos princípios divinos que nós quebramos, para passarmos a avaliar nossas vidas tal como Deus nos avalia.

Pois bem, primeiramente, há bastantes verdades nas proposições anteriormente colacionadas. A palavra nos informa que o Espírito Santo nos convence do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8). Entretanto, podemos perceber que, nem todos os que são convencidos, serão convertidos. Aliás, o texto de Jo 16.8, revela que o Espírito convencerá o mundo, ou seja, toda a humanidade. Tal convencimento, logicamente, não significa salvação. Ou seja, mesmo o homem não nascido de novo, tem, por natureza, inserido em seus atributos morais, a consciência do que é bom ou mau. Desse modo, todos são, diante de Deus, inescusáveis (Rm 1.20).

Por conseguinte, há, logo no início da ministração, a citação do texto de Pv 28.13:“O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia.”

As verdades contidas na Palavra são inegáveis. Logo, não há como confrontar o verso citado anteriormente. O próprio apóstolo Tiago, em sua epístola universal, nos manda confessar nossas ofensas uns aos outros (Tg 5.16). O escritor da apostila também adverte a todos nós que o sangue de Cristo não funciona como um cartão de crédito, onde eu uso sem responsabilidade, podendo pecar o tanto que quiser. Tal afirmação se aplica devidamente à vida cristã, uma vez que o que dá testemunho de salvação na vida de um crente é o fruto do Espírito que revela o modo de viver que se distancia do pecado. Aquele que é contumaz em pecar, certamente ainda não é salvo e deve achegar-se a Deus em humilhação, para que alcance misericórdia.

Entretanto, o ponto da ministração que traz estranheza à sã doutrina será revelada na análise seguinte. Para isso, é necessário lermos o seguinte texto, extraído da apostila:
"Só conseguiremos ser totalmente curados e libertos se confessarmos tudo. Você não pode confessar pela metade, nem confessar os pecados de só um tempo da sua vida. Você precisa confessar todas as coisas - desde a infância até ao dia de hoje. Lembre-se que você tem uma aliança com Jesus." (Grifo nosso)
A confissão é plenamente necessária, mas, a grande questão é: o que tal doutrina, acima explicitada tem revelado? Primeiramente, infringe o poder do sacrifício de Cristo na cruz (Hb 9.28), que se opera na vida daqueles que creram Nele (Jo 3.16). A doutrina bíblica da salvação esclarece que, ao se crer em Cristo, e ser batizado, o homem alcança a salvação (Mc 16.15). Com o coração nós cremos para a justiça, uma vez que somos justificados diante de Deus por meio da fé (Rm 5.1,2); e com a boca confessamos para a salvação (Rm 10.10). Essa confissão não se refere a cada um dos nossos pecados. Mas sim à manifestação pública, por meio de nossas obras (Tg 2.17), e por meio da guarda e cuidado das ordenanças deixadas por Cristo (Mt 28.20). Uma das ordens deixadas por Jesus, que demonstra a confissão para a salvação, é o batismo (Mt 28.18-20; Mc 16.15). Por meio dessa única confissão, se o coração crê, já é reputado como justiça e como salvação.

Diante disso, devo novamente trazer a minha lembrança os pecados que cometi desde a infância? Isso é anular o sacrifício da cruz. Paulo nos exorta a deixarmos as coisas que para trás ficam e seguirmos para o prêmio da nossa consolação (Fp 3.13,14). E aqueles pecados de que já não nos lembramos? O sacrifício da cruz não os alcança? O que nos diz o texto de Is 53.5, nos afirma que Ele morreu, uma única vez (Hb 9.28), por todas as nossas transgressões, sendo necessário, àqueles que alvejam salvação, olhar para o madeiro (Jo 3.14,15). Ele morreu pelos pecados que nos lembramos e pelos que não nos lembramos. Não há, pois, necessidade de trazermos a memória cada um dos nossos pecados, a não ser que o objetivo seja relembrar o quanto as misericórdias do Senhor são maravilhosas sobre as nossas vidas. Há uma canção que diz: “Quero trazer à memória aquilo que me dá esperança”. Que tal seguirmos este conselho (2Tm 2.13.14)?

Uma vez que estamos em Cristo, o nosso fardo de pecados e de dor já foi deixado para trás. Que motivação eu tenho de ficar confessando cada um destes pecados? Anularemos, pois o sacrifício e a graça de Cristo que é alcançada por meio da fé? Isso é complicar a salvação. Devemos, ao contrário disso, voltarmos à simplicidade do evangelho (2 Co 11.3). Tais manuais se revelam como inimigos da cruz, pois arrancam de Cristo o poder de nos salvar e colocam tal poder na memória do homem, o qual tem por obrigação relembrar-se de cada um de seus pecados, se não, a libertação não será alcançada. Já somos libertos em Cristo Jesus, que é a verdade (Jo 8.32; 14.6). Somos purificados em seu sangue (1 Jo 1.7), e santificados na Sua palavra (Jo 17.17). O que ultrapassar isso é antibíblico e engano (1 Co 4.6).

Ainda segundo a apostila, observamos o seguinte:

"O processo de arrependimento começa através de um quebrantamento diante da presença de Deus: sentimos dores profundas por havermos ofendido ao Pai. Não se trata de remorso, trata-se de um sentimento interior, de um coração impulsionado a dar a volta, a retomar o caminho correto de acordo com a vontade do Pai, tal como fez o filho pródigo." (Grifo nosso) 
Acho interessante que a Palavra não nos convida a um “processo de arrependimento”, mas sim a um genuíno arrependimento (Mt 3.2; 4.17; Mc 1.15; At 2.38; 3.19). Há, sim, a necessidade do convencimento do Espírito Santo (Jo 16.8); logo em seguida, aquele que em verdade se arrepende, consegue ter percepção do ódio que o próprio Deus tem em relação ao pecado (Is 33.14; Ez 8.18; Mt 10.28; Rm 11.21,22), fazendo com que o pecador sopese a bondade e a severidade de Deus e em seguida se lance nos braços deste Deus, por meio da fé, que é todo poderoso para perdoar os seus pecados (Mc 2.5-9).

Em seguida temos outra informação interessante:

"- Pecado tem nome. Não basta dizer: Ah, eu pequei muito! Deve-se dizer Hoje é o pecado pelo nome.O Espírito Santo vai trazer consciência a você. Peniel. É um encontro face a face com Deus, onde você vai lutar e prevalecer. (Grifo nosso)"
Se tal afirmação, grifada, é verdadeira, então o filho pródigo não deveria alcançar perdão (Mc 15.11-24). Ora, percebemos que o que Deus quer é um coração contrito (Is 57.15). A confissão de pecado por pecado não é regra para perdão e reconciliação do homem para com Deus. Creia com o coração, mesmo estando pesado e sobrecarregado, Cristo te aliviará (Mt 11.28-30).

O pecado deve, sim, ser confessado (Tg 5.16). Mas não da forma proposta pelo autor da apostila, que nos remete a um retorno psíquico e almático que mais se aparenta com a regressão aplicada pela psicologia. Tal atitude traz dificuldades ao evangelho. O evangelho é simples, apesar de requerer de nós uma atitude de completa negação do “eu”, para que Cristo tome a direção de nossas vidas. Quantos podem dizer amém?

Diretamente do Jordanny blog

John Wilson - I Refuse (Eu me recuso)

- Te Recomendo - 


"Eu me recuso sentar e esperar que outro faça o que DEUS ME CHAMOU pra fazer..."

27 de janeiro de 2012

Como compor uma musica GOSPEL

- Humor Cristão -






Essas regras são uma constatação pessoal do "valor médio" do louvor gospel brasileiro. Siga-as a risca e seja um sucesso instantâneo.

Fale pouco de Deus e de sua obra redentora... Mais ainda, faça as pessoas acreditarem que Deus é o Papai Noel dos adultos;
Vogais... seu refrão adora mais se tiver vogais, elas mostram sua espiritualidade e encobrem sua capacidade de criar refrões inteligentes."Ouaieoua" é algo que vai fazer todos sentirem o maior êxtase espiritual;
Leia Cantares, Jó, Ester e outros livros pouco lidos da Bíblia, faça uma salada com versículos desses livros... Junte em um refrão grudento;
Ministrações espontâneas... você precisa ter ministrações espontâneas, mesmo que você as ensaie e decore tudo o que vai falar, e fale sempre a mesma coisa no mesmo momento em todas suas ministrações;
Diga sempre que foi Deus quem te deu a música... isso tira de você o peso de não saber compor, e também te dá uma arma poderosa contra os que fizerem criticas... "Você ousa questionar Deus e o Espírito Santo?";
Fale em línguas... não importa se ninguém entende, isso mostra que você é muito espiritual. Se você não sabe falar, finja que fala..."rita lava saia", "ripa lá pra trás", "chupa bala halls" e "siri anda lá na praia" são bons exemplos de embromação;
Chuva é extravagante... sempre faça 5 musicas sobre chuva por cd;
Fogo e rio também são extravagantes... sempre peça pra Deus mandar fogo e te afogar no rio;
Por aplicação direta das 2 regras acima, se você pedir chuva de fogo, você será ungido(a) com a unção da face de leão marinho do norte, e rio de fogo com a unção do peixe boi sagrado. Cuidado, se você pedir fogo e depois chuva, a chuva apaga o fogo!;
Nunca leia a Bíblia... afinal ela pode condenar as idéias propagadas por suas músicas, leia caixinhas de promessas e Kenneth Hagin;
Faça atos proféticos... ignore o fato de que os profetas do Velho Testamento só faziam tais coisas por ordem de Deus. Ignore também o fato de que no VT os profetas faziam as coisas para ilustrar uma realidade espiritual, não para mudar a realidade espiritual;
Cante como a Ana Paula Valadão... Se não for possível, finja que é. Se não der para imitar a Ana Paula Valadão, ao menos imite a Nívea Soares. Se nem assim der, determine que você pode, afinal suas palavras têm poder (lembre-se: se a Bispa Sônia Hermandes pode desafinar diante de um microfone para milhares de pessoas, você também pode);
Shophar... você precisa de um, mesmo que não faça idéia do que seja um Shophar.
Dançarinas... arranje dançarinas, Tai chi chuan é uma boa alternativa. Quanto mais parecidas com mariposas, melhor;
Gravação ao vivo é extravagante... ninguém nunca pensou em fazer isso, vá e destrua os poderes satânicos em quixopó do norte com sua ministração profética de 15 minutos;
Compre um violão de 12 cordas... e tenha uma igreja em Contagem;
"Penteai a noiva"... é um bom nome par ministério de louvor extravagante, e soa bem melhor que dizer "fazei chapinha na noiva";
Role no chão durante as ministrações... Crê-se que o deus dos extravagantes se agrada dos que se portam como sofredores de epilepsia;
Coloque um pimenta do reino embaixo da língua... ninguém vai entender o que você canta, lembre-se: "gemidos inexprimíveis";
Durante a ministração, repare bem em tudo o que os outros estão fazendo... Qualquer atitude no sense extravagante deve ser copiada, ainda que você não faça idéia do porquê;
Compre CDs do hillsongs, hosanna music, Jason Upton e Vineyard... copie todas as músicas que derem para ser tocadas em sol maior. Aliás, toque todas em sol maior. Sol Maior é meu Pastor e nada me faltará;
Se você for um cantor gospel romântico decadente... invente uma visão, experiência, ou algo do tipo e diga que Deus revelou que você deve gravar só adoração [não mencione o fato do seu produtor ter te avisado que essa é a tendência do mercado, nem fale que você está desesperado para arranjar dinheiro pra ir pra Las Vegas]. Se funcionou para Michael W Smith vai funcionar pra você;

Você tem um objetivo: Ser extravagante;
Lembre-se: nunca venda um CD por menos de 25 reais... ou a gravadora não terá o dinheiro para fazer o jabá.
Fale mal de todo tipo de musica secular... A associe ao demônio e à falta de santidade. É preciso reduzir a concorrência com musicas de qualidade;
Emita barulhos estranhos e tenha atitudes esquizofrênicas... Todo tipo de comportamento alucinado pode ser facilmente dissimulado em manifestações do "poder de Deus";
Dissimule milagres... Objetos transformados em ouro voltaram à moda.

Diretamente: Teologicos

25 de janeiro de 2012

Grande Capanha da Prosperidade?

- Humor Cristão/ Repense e Reflita -



Salveh Galera, primeiramente quero expressar aqui o meu desgosto e profunda indignação por essa teologia da prosperidade e pior do que isso NA DEUS É AMOR

A Deus é Amor não era uma igreja que priorizava dinheiro ou bens materiais não, quando penso na Deus é Amor eu penso como um The Sims onde existe um manipulador chamado David Miranda controlando e impondo regras a todos os seus subordinados, eu falo assim porque conheço a peça, porque vi o que todas as suas leis e regras fizeram com jovens sedentos por justiça, o cristão não foi liberto do opressor pra ser preso numa religião, isso é colocar fardos pesadissimos que Jesus disse que não precisavam carregar!

1) Esse folheto acima me deixa intrigado porque além usarem versículos isolados, fora de contexto e mal interpretados para serem base da teologia da prosperidade como o Salmos 23, ainda aparece frases imperativas que parecem estar dando ordens a Deus como por exemplo:

Senhor, EU QUERO

2) Embora a palavra de Deus nos ensinar que A VONTADE DE DEUS deve estar acima da nossa vontade, o folheto parece ignorar e ainda convidar todos que tiverem desejo de possuir bens materiais, uma vez Jesus disse para nós não nos preocuparmos com o que havemos de beber, de comer ou de vestir porque o mesmo Deus que supri as necessidades dos pássaros sabe que nós temos necessidades tambem, isso não quer dizer que não passaremos, quer dizer que para um cristão o importante não é POSSUIR mas SER. Perdemos tanto tempo buscando soluções para nunca faltar nada para nós mesmos, mas esquecemos de SER a provisão de DEUS para o nosso próximo, isso é o mais importante, O REINO DE DEUS, Quem busca o Reino de Deus sabe que nossas vontades devem estar abaixo das necessidades dos outros não importa quem sejam, difícil pensar mais no próximo do que em si mesmo? Bem vindo ao Evangelho de Cristo.


“Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6.31-33)


O que me chama a atenção no quesito pedidos e desejos humanos do folheto sãos as opções que a pessoa tem para marcar, na parte de cima as opções são casa, apartamento, terreno... será que não sabem que Deus disse que comeremos do nosso próprio suor? Ou seja, se trabalharmos poderemos receber nosso salário e assim possuir uma casa ou um apartamento com o dinheiro honesto de um trabalho bem feito, se eu marcar nesse folheto e orar ofertar a quantia que eu quiser e entrar nesse proposito da GRANDE CAMPANHA DA PROSPERIDADE receberei uma casa sem precisar trabalhar? Sem suar para obter? É isso que Deus nos ensina na bíblia?

3) Ainda na parte de cima é explicado como será essa GRANDE CAMPANHA DA PROSPERIDADE, diz que haverá três orações durante a campanha, a primeira será contra o DEVORADOR... Essa questão é bem polemica, muitos crêem que o DEVORADOR é um demônio, um espirito ruim, que passa a destruir toda a area financeira do homem quando ele deixa de dizimar... Na realidade, se o devorador fosse um demônio ele seria destruído pelo poder do nome de Jesus, aliás o nome de Jesus é maior que o dizimo que damos na igreja, o Senhor Jesus extermina qualquer mal simplesmente porque Ele é o nosso salvador, o dizimo é o proposito que você faz com Deus e ninguem deve te cobrar e nem te assustar pra você dizimar, o dizimo e a oferta é por Amor e não por obrigação! 

A Segunda oração é contra a miséria, eu costumo dizer que um cristão é mais rico que o maior milionário do mundo pois a verdadeira riqueza não é material, não existe um cristão miseravel, todo cristão tem tudo que precisa e se acha que ta faltando algo é porque não precisa, Deus sabe de nossas necessidades mas Ele nos dá só o que precisamos, miseravel é o diabo que não tem nada e vai queimar no lago de fogo sem nada, mas querem orar contra a miséria, então que orem, mas é uma oração meio que sem sentido, porque um verdadeiro cristão que conhece a verdade sabe que nunca será miseravel, mesmo que passe fome por algum tempo ou até o fim da vida, Nada nos faltará não é mesmo? Nem mesmo as necessidades, adversidades, dificuldades, problemas e etc...

A Terceira oração é contra a maldição, queria saber que maldição... Deus não nos colocou frente a dois caminhos e nós escolhemos um? Se escolhemos a benção porque viria sobre nós a maldição? E se nos amaldiçoam não serão amaldiçoados porque ninguem pode amaldiçoar a quem Deus abençoou? 

No caso da Deus é Amor a maldição que existe por lá é a Lei... vinda diretamente do coração do David Miranda.

4) A Verdade é que essa campanha é sem sentido, embora convide o povo a orar, todos os cristãos são livres pra orar a Deus completamente de graça, mas neste folheto você anota o "voto da prosperidade" que é a sua oferta, assim você entra na campanha, anota o seu nome embaixo do versículo do devorador, na parte debaixo você tem várias opções de bens materiais para receber de Deus, basta riscar o que voce quer, perceba que não tem nada relacionado a vida cristã, tem geladeira, PAGAMENTO DE DIVIDAS, Jogos de quarto, cozinha e sofá, até Sítio!!!! 

Que campanha é essa que "compram" a Deus requerendo que Ele pague as dividas feitas pelo "comprador"?

Que campanha é essa que transforma Deus nas CASAS BAHIA ou IMOBILIARIA sempre pronto pra nos dar móveis e imóveis  assim que pagamos por isso? (No caso o pagamento é o voto da prosperidade) 

 5) A Ultima frase do folheto mostra o objetivo da campanha "SENHOR EU QUERO MINHA PROSPERIDADE" Hum, e mesmo assim tem gente que vai participar, não os culpo, a mente deles estão controladas, não pensam por si só, falo do que conheço, minha vó era missionária da Deus é Amor.

Eu já falei sobre a teologia da prosperidade, sobre essa história de determinar coisas pra Deus fazer, é como se nos colocássemos no lugar de Senhor e Deus no lugar de servo toda vez que determinamos, então quando oramos não devemos orar assim "EU QUERO ISSO DEUS", "FAÇA ASSIM DEUS" Parece crianças pidonas daquelas bem mimadas, se porventura Deus não der o que pediram e não vai dar, elas começarão a chorar, berrar e dizer "VOCE NÃO ME AMA MAIS?!" isso é coisa de criança, tá que Jesus disse pra gente ter coração mas não para agirmos como crianças na fé õÔ 


A Idéia era analisar o folheto de uma forma bem engraçada mas acho que não ficou tão engraçada assim kkk mas espero que tenham gostado e se não gostaram comentem o/

Você já fez uma boa ação hoje?

- Eu Gosti -


Eae galera, esse video nada mais é, uma motivação para você sorrir, e incentivar a pratica de boas ações, coisa que está em falta no mundo atual, o projeto é organizado pelo pessoal do Live Vest as ações ao decorrer do video são as mais simples, e as que mais dão alegria, espero que gostem do video:





Porque se cada um de nós começasse a tratar os outros como queremos ser tratados, o mundo seria bem melhor

24 de janeiro de 2012

Campanha: Abaixo Pajés Gospels

- Humor Cristão - 






Há algum tempo o meio cristão tem passado pela pior tempestade de todos os tempos, uma sombra negra chata tem feito chover na vida de todos, o Sol da liberdade está lá mas a nuvem do gospel impede alguns de enxergar-lo infelizmente, as gotas dessa chuva inspira cantores gospels a escrever e cantar musicas com o tema, CHUVA.


Há alguns anos parecia que os cantores gospel fizeram uma reunião e nela ficou decidido: "Todos deveria cantar pelo menos uma musica gospel que falasse de chuva" outros cantores fizeram mais que isso, cantaram um álbum só do tema chuva, água, rios... Como consequência desse plano, tivemos anos chuvosos em todos os estados por onde tocou essas musicas.


De uma forma ou de outra parecia que essas musicas atraiam as tempestades como imã ou como aqueles atos "proféticos" dos índios quando precisam de chuva, sabe a famosa dança da chuva? É um ato "profético" e as musicas gospels com o tema de chuva devem ser o que os índios tocam na hora desse ritual õÔ


Aqui temos uma lista de musicas gospel com este tema:








- Alda Célia - Abundante Chuva                                             - Eyshila - Chuva de Poder
                 
          "Abundante chuva, chuva                                                   "Chove, chove chuva
       Derrama sobre nós esta chuva                                               Chuva de poder
    Abre as comportas do céu Senhor                                             Chove aqui na minha vida
                    Vai chover                                                                  Chove que eu quero ver  
             Abundante Chuva, Chuva                                                 Chuva de benção
      Derrama sobre nós essa chuva                                               Chuva de unção
  Torrente de águas sobre os sedentos"                                        Chove na minha vida
           Chuva de avivamento!                                                        Chove na vida do meu irmão"
                

- Soraya Morais - Som da Chuva                                         - Fernandinho - Eu vou Dançar na chuva

"Derrama sobre nós a chuva, Senhor                                     Eu vou dançar na chuva...
Derrama sobre nós a chuva, Senhor                                         Dance, dance, dance
Abundantemente, sem cessar                                                   Dance, dance, dance
Teu povo espera o derramar da chuva
Da chuva, da chuva, da chuva"

- PG - Faz chover                                                                  - Pamela - A Chuva

Chuva, quero chuva                                                                Eu quero ver a chuva de poder!             
Tua chuva, de unção sobre mim                                            Eu quero ver a chuva de unção!     
                                                                                     Fazendo a alegria transbordar meu coração
 Faz Chover, Faz Chover
Abre as comportas do céu

Essa é só algumas musicas famosas que a maioria dos evangélicos conhecem, queremos que parem de chamarem chuvas, pois hoje em dia é comum além de levar a bíblia para a igreja, levar tambem um guarda-chuva, em lugares como aqui em minha cidade que acontece enchentes pode ter certeza que passou pelas ruas uma "marcha pra Gezuis" pedindo CHUVA!! 

Queremos o fim da musica gospel com o tema CHUVA! Vamos cortar o mal pela raiz, mesmo que digam que são apenas palavras e metáforas, não queremos desculpas e explicações, nós queremos o fim dessa nuvem negra insistindo em ficar na frente do Sol da liberdade!

Se você apoia essa campanha você só precisa enviar uma foto segurando um guarda-Chuva em protesto a essas musicas gospels com tema CHUVA. Abaixo Pajés Gospels


Enviem para San_Diegoh@Hotmail.com
[Campanha Criada com ajuda de @BrunaoArcari]