Páginas

7 de fevereiro de 2012

Quebrando Barreiras #2

Olá galera, quanto tempo não posto por aqui, ein? Peço desculpas pelas semanas sem postar, mas agora estou voltando e vamos continuar essa série então [pra quem não leu, a primeira história da série é essa aqui #1], com vcs a segunda história da série Quebrando Barreiras:




Nada em minha vida estava dando certo. Minha mãe quase entrando em depressão, meu pai chegando em casa cada vez mais tarde, o casamento deles acabando. Minha namorada estava a um mês de se mudar para outro estado, minhas notas na escola iam de mal a pior e eu não conseguia me concentrar mais em nada, até o curso de inglês que eu amava acabei deixando de lado. Tudo em meu mundo estava desabando, mas eu não ia procurar respostas em Jesus. Eu não ia ao pé da cruz depositar meus fardos; na verdade, eu mal lembrava que existia um Deus que me ama e guerreia minhas guerras. Os amigos da igreja até tentavam me ajudar, mas eu acabava me isolando de tudo, já havia tempo que não ia aos cultos e que também havia deixado a banda que eu e meus amigos havíamos formado pra louvar o Senhor. Eu já não sabia mais quem eu era. Tanta murmuração e eu me assemelhei bastante ao povo de Israel, que tinha recebido tantas coisas boas e visto tantos milagres do Senhor em favor deles e ainda assim não conseguiam abrir os olhos e confiar em um Deus que já havia provado seu amor e sua fidelidade.
            Mas foi num dia nublado, que tinha tudo pra ser tão sem esperança como os outros que eu vinha vivendo, que algo mudou. Eu estava jogado na cama tentando esquecer tudo aquilo que estava passando, quando dois amigos que eram da mesma banda que eu participava chegaram em minha casa. Como sempre, chegaram em meu quarto fazendo a maior bagunça, cantando, animando tudo.
            - Ícaro, nós viemos pra te levar num lugar. Você topa?
            - Que lugar?
            - Diga que sim ou que não.
            Olhei pra eles um tanto desconfiado, mas eu não tinha o que temer, confiava demais naqueles caras. Coloquei meu casaco e saí com eles. No caminho fomos conversando, rindo e aos poucos eu fui notando que estávamos indo pro lado mais carente da cidade. Depois de uns 50 minutos, estacionamos num lugar visivelmente precário e necessitado. As ruas nem sequer eram asfaltadas. Nunca tinha ido naquele lugar da cidade.
            Eles foram em direção a um portão grande de madeira, eu os segui. Ao entrar naquele lugar, vi muitas crianças brincando num pátio enorme, depois percebi que tinham algumas numa sala que parecia uma enfermaria, no soro. Não fiz nenhuma pergunta aos meus amigos, mas não imaginava porque tinham me levado ali. Depois de andar mais um pouco por dentro daquele lugar que parecia um orfanato, entramos numa sala que tinha várias crianças cantando, e elas mesmas tocavam os instrumentos; percebi que eram louvores que cantavam com tanta alegria. Tinha alguns adultos com as crianças e eles se desmanchavam de alegria fazendo coreografias e se divertindo tão puramente com elas. Depois que os cânticos acabaram, uma menininha que aparentava ter uns 7 anos foi à frente, leu o Salmo 23 e disse que estava muito feliz de estar morando naquele lugar. Nesse momento, um de meus amigos me disse que aquela era uma casa abrigo criada e mantida por cristãos de várias denominações, ali viviam crianças de todo tipo, abandonadas, órfãs, que os pais não tinham condições de criar..e além de terem um lugar para morar, as crianças tinham muito mais: a mensagem do amor sendo plantada no coração delas. Quando a menina sentou-se, um garotinho menor que ela tomou a palavra e disse que queria orar. Sua oração simples dizia que amava a Deus e era muito agradecido pela vida que tinha ganhado. Quando acabou de orar, meu amigo me disse que aquele menininho que parecia ter 5 anos, na verdade tinha oito e há um ano vivia naquela casa abrigo. Seus pais perderam sua guarda porque bebiam demais e acabavam batendo nos filhos, quando chegou ao abrigo a criança estava desnutrida e cheia de hematomas..sem contar as doenças graves que ele acabou contraindo e hoje precisa de muitas horas nos hospitais. E mesmo com essa história de vida a criança agradece a Deus pela vida que ganhou. Aquilo foi um baque pra mim. No decorrer do dia conheci diversas outras histórias que batiam forte dentro do meu coração e confrontavam muita coisa em mim. Uma menina que tinha a minha idade na época – 17 anos – que também morava ali me contou que havia perdido a mãe que morreu de câncer, o pai ela nunca conheceu e depois de ter sido explorada em casas de prostituição da cidade, foi encontrada pelos missionários da casa abrigo e recebeu Jesus em sua vida. Agora ela morava ali, estudava e se preparava para o vestibular de medicina para ser oncologista e trabalhar com pessoas que tem câncer. E tentar, de alguma forma, ajudar aqueles que sofrem com essa doença e não tem condições de terem um tratamento.
            Brincamos e nos divertimos bastante com aquelas crianças maravilhosas e, quando estávamos quase indo embora, duas delas nos chamaram para uma das salas do abrigo e ao chegar lá gritaram: “Surpresa!” e começaram a cantar uma música: “A alegria do Senhor é nossa força, a Ele toda honra e toda glória!!” Cada letra daquela música impactou meu coração porque eu via em cada olhar daquelas crianças a verdade de que realmente, a alegria do Senhor era a força delas, porque só com a força dEle para terem passado por tantas coisas e hoje ainda cantarem tão felizes. No final do louvor eu já estava aos prantos, e as crianças, tão lindas, vieram me abraçar.
            Enquanto voltávamos para casa, um filme da minha vida se passou em minha mente e eu vi o quanto havia sido ingrato. Aquelas crianças haviam sofrido muito mais que eu e eram tão felizes, confiavam na provisão de Deus..mas e eu? Vivia fechado em meu mundo de ingratidão. Desandei a chorar mais uma vez, meus amigos pararam o carro e eu disse: “Eu quero voltar pra Deus! Eu quero Jesus na minha vida!”. Naquele momento eles oraram por mim e eu senti uma paz tão grande, um amor tão forte vindo sobre minha vida que eu chorei ainda mais.
            Daquele dia em diante, minha vida se transformou. Naquele dia meu Deus usou aquelas crianças e adolescentes para me despertar e enfim, quebrar muitas barreiras dentro de mim. Com Deus habitando em mim, quebrei as barreiras da falta de fé, da ingratidão..e consegui ver o agir de Deus em minha vida que testifica hoje o casamento renovado dos meus pais, minha banda louvando ao Senhor mais do que nunca, meu namoro que segue firme mesmo com a distância,  agora também sou voluntário na casa abrigo ajudando aquela criançada que tanto me ajudou, e minha vida, que se transformou numa vida de adoração ao Senhor repleta do amor transformador do Pai.
            Por isso te digo hoje, quebre as barreiras que não te deixam ter fé, e também não te deixam conseguir mais alturas no amor de Deus.. quebre essas barreiras e veja o agir de Deus em você, te transformando por meio de um amor que vai além da vida.


Twitter: @arlenekanaki
Facebook:Face

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem!
Comentem!