Páginas

31 de dezembro de 2011

John Hus, O Mártire

- Te Recomendo -


Um Padre da Boémia resolveu levantar sua voz contra aquilo que ele achava ser abuso da igreja

30 de dezembro de 2011

O Time do PAPA

- Humor Cristão - 



Cantar a Graça de graça seria algo sem graça

- Uma Palavrinha - 




O evangelho de Jesus de Nazaré fala a respeito de “frutos de arrependimento”.
Creio que a tal “música gospel” contribuiu bastante para a superficialidade teológica dos chamados “evangélicos”.



Todos os “Líderes de adoração” ou “Ministros de Louvor” que fizeram ou que ainda fazem parte de todo esse“MOVER GOSPEL”, seja por meio de SHOW'S ou com a COMERCIALIZAÇÃO dos seus CD’S (e a Nívea também está nessa ...) precisam apresentar os tais “FRUTOS”. 

Como farão isso?

Creio que declarações como essa da Nívea já é a “boca falando” algo que está incomodando no coração. 

Mas também creio que, além de falar a respeito do assunto ou de simplesmente dizer que “antigamente não era assim”, também é preciso mais uma coisinha SIMPLES, bem simples, para realmente voltarmos a ter um compromisso sério com a VERDADE do Evangelho: Basta o cristão dar de graça o que recebeu de graça, ou seja,basta parar de comercializar CD, parar de cobrar ingresso para se apresentar (afinal, precisamos é apresentar JESUS. SOMENTE ELE).

Mas isso é tão SIMPLES que pode COMPLICAR a religião de muita gente (principalmente dos tais “adoradores” profissionais). 

Acredito que CANTAR A GRAÇA, DE GRAÇA seria algo meio sem graça para quem já está acostumado a receber aplausos e também acostumado a dar autógrafo. 

Um detalhe que me alegrou e me chamou a atenção nas declarações da cantora Nívea foi que ela exaltou bastante o NOME de JESUS. 
Ela apontou bastante para CRISTO.
Sabemos que ELE é SUFICIENTE.
ELE é o SALVADOR. Ele é TUDO.
Que possamos cantar com alegria esse NOME. 

De coração: Espero que muitos desses músicos (artistas) possam compreender que a herança de um cantor cristão é a mesma de todos os demais cristãos: É uma recompensa eterna no céu, e não um reconhecimento terreno (com disco de OURO, de Prata e de Platina). 

Que Deus tenha MISERICÓRDIA de todos nós!
A Herança do cristão: Uma recompensa eterna (no CÉU)

“Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; Tendo por maiores riquezas o vitupério de CRISTO que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa”. Hebreus 11.24-26.

“Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna”. Tito 3.7

“Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se NÃO VÊEM SÃO ETERNAS”. II Cor. 4.18

“[...] as coisas que o OLHO NÃO VIU, e o ouvido NÃO OUVIU, e não SUBIRAM ao coração do homem, São as que DEUS PREPAROU para os que o amam” I Cor. 2.9
“Para uma HERANÇA incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada NOS CÉUS para vós” I Pedro 1.4

“Por causa da esperança que vos está reservada NOS CÉUS, da qual já antes ouvistes pela palavra da VERDADE do EVANGELHO”. Colossenses 1.5

“Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, ETERNA, NOS CÉUS”. II Cor. 5.1

“ [...] porventura não escolheu Deus aos POBRES deste mundo para serem RICOS NA FÉ, e HERDEIROS NO REINO que prometeu aos que o amam? Tiago 2.5


Betinho - Amigo do Blog Caminhando na Graça, de graça !

29 de dezembro de 2011

Culto narrado como um jogo de futebol

- Humor Cristão -


Corre pro abraço irmão!

Por que Deus reprova o evangelho-show “globalizado”

- Repense e Reflita - 




Estava disposto a não escrever mais sobre o Festival Promessas, pelo menos neste ano. Mas muita gente não entendeu o que eu quis dizer nos artigos anteriores, e precisarei repisar (e não apenas reprisar) algumas verdades que venho dizendo desde janeiro de 2007, neste blog.

As minhas críticas anteriores não se limitaram a apresentações e a comportamentos episódicos. Não me referi exclusivamente ao mencionado festival. Também não aludi, apenas e tão-somente, à conduta e à postura das celebridades presentes ao evento. Na verdade, vali-me desse episódio para reiterar minhas críticas ao evangelho-show. Este é o verdadeiro vilão da história.


Muitos gostam do que escrevo; outros, nem tanto, é evidente. Aliás, alguns reagem com tanta truculência que acabam revelando a todos os frutos do evangelho-show. Certos cantores evangélicos (evangélicos?) e pastores (pastores?) — não me pergunte o nome deles — têm escrito alguns impropérios contra mim...


Boa parte dos seguidores do evangelho do entretenimento não demonstra ter mansidão. Se eles acharem que alguém está falando contra os “ungidos” (cantores-ídolos), reagem como fãs. Xingam pastores de medíocres, ridículos, invejosos e até ameaçam... Têm eles o Espírito Santo? Dão lugar para Ele amadurecer neles o seu fruto, que resulta em mansidão, temperança, bondade, etc.? Que tipo de cristão é o amante do evangelho-show?


Respeito a opinião de todos os leitores, até mesmo dos mais exaltados. Mas não tenho medo de dizer: Deus reprova o evangelho-show! Por quê? Porque o Evangelho deve ser comunicado, não da maneira que as pessoas desejam ouvi-lo, e sim da maneira que precisamouvi-lo. O evangelho do entretenimento não produz discípulos de Jesus, como ordena a Palavra do Senhor, literalmente, em Mateus 28.19: “fazei discípulos de todos os povos”.


O falso evangelho em apreço desvia as pessoas da verdade. Ele as distancia da Palavra de Deus e as aproxima do mundanismo. Ele integra, admito, e induz os jovens a dançarem, a balançarem o corpo, a se divertirem, a se alegrarem, a se exibirem, a serem “o povo mais feliz da terra”... Mas estes — ainda que não admitam — continuam vazios, pois o que dá prazer realmente é andar segundo a lei do Senhor (Sl 1.1,2).


Leia os comentários dos adeptos do evangelho-show, neste blog ou nas redes sociais, e você verá que a maioria deles não tem prazer na lei do Senhor. Uma simpatizante desse peudo-evangelho, revoltada com o que escrevi, desabafou: “já cansei desse papo de certo ou errado”. Outra sugeriu que está havendo perseguição aos levitas, como se fôssemos israelitas e vivêssemos nos tempos da Antiga Aliança...


Alguns adeptos do evangelho-show acham que a Trindade é uma doutrina romanista. Com quem eles aprenderam isso? Deve ter sido com certos astros da música gospel que dizem ter a “voz da verdade”, pois a doutrina da Trindade é uma das mais enfatizadas na Palavra de Deus, no Antigo e no Novo Testamentos! Ela é a chave para o entendimento de várias outras doutrinas fundamentais.

Outros defendem ferrenhamente os seus adoradores-ídolos, mas não sabem definir adoração, louvor e cântico, à luz da Bíblia. Aliás, sequer aprenderam que a adoração verdadeira jamais deveria receber o adjetivo “extravagante”! Extravagância não combina com adoração!


Caros “adoradores extravagantes”, sei que muitos de vocês não gostam da Palavra de Deus, pois ela não aprova o seu procedimento. Mas os desafio a fazerem agora um estudo bíblico comigo. Abram as suas Bíblias em 2 Crônicas 20.18. Viram como Josafá se prostrou com o rosto em terra, adorando a Deus? Agora, abram em 2 Crônicas 29.29 e Neemias 8.6. Depois, em Jó 1.20 e Salmos 95.6. E já que é época de Natal, leiam comigo também Mateus 2.11, a respeito dos magos do Oriente: “e, prostrando-se, o adoravam”.


Onde está a adoração extravagante, tão festejada pelos seguidores do evangelho-show? Em todas as passagens citadas a respeito da adoração, ela é acompanhada de prostração, quebrantamento, choro, humilhação. Isso é o verdadeiro produto do adorador, e não os shows com luzes coloridas, danças, canções de autoajuda, estrelismo, “unção do leão”, “cair no Espírito”, bota de píton, gritinhos frenéticos, ritmos eletrizantes, linguagem chula, falsas profecias, derramamento de azeite sobre a cabeça de alguém e outras futilidades!


Deus reprova o evangelho-show porque este oferece ao povo o que ele deseja, assim como fez Arão (Êx 32.1-6). Por influência desse falso evangelho, os cultos não têm mais espaço para a exposição da Palavra de Deus. No mínimo, dois terços das nossas reuniões de “adoração” são preenchidas com cântico, música e irreverência. Mas o Senhor tem levantado homens e mulheres que, à semelhança de Moisés, têm dado ao seu povo o que ele precisa (Êx 32.7-35).


Sim, o Senhor reprova o evangelho-show! O show precisa acabar. O show da falsidade, da mentira, da apelação, do engodo, do amor ao dinheiro. Voltemos a cultuar ao Senhor Jesus em nossas igrejas! Com menos cantoria e mais louvor. Com menos triunfalismo e mais pregação cristocêntrica. Com menos sofisticação e mais simplicidade. Com menos performance gestual e mais quebrantamento do coração. Com menos descontração e mais arrependimento.


Deus sempre será contrário ao evangelho-show, porque show não é culto, e culto não é show. Não precisamos chegar ao Céu (ao contrário do já me sugeriram alguns internautas) para descobrirmos que o Senhor não recebe os shows “evangélicos”. Temos a Bíblia Sagrada. Para que servem os mandamentos, princípios, exemplos, verdades e doutrinas contidos na Palavra de Deus?


O problema é que muitos hoje têm vontade de pular, dançar, gritar, correr... Só não têm vontade de andar segundo as Escrituras. Gostam de ouvir gritinhos frenéticos. E “adoram” quando o seu cantor-ídolo diz: “Tire o pé do chãããão”. Mas, quando alguém os convida a abrir as Escrituras, torcem o nariz e pensam: “Lá vem ele com esse papo de certo ou errado”.


Você também está cansado desse “papo” de certo ou errado, prezado leitor? Saiba que Deus também está cansado desse evangelho-show! Ele quer que nos humilhemos diante dEle: “se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar [...], então, eu ouvirei dos céus” (2 Cr 7.14).



28 de dezembro de 2011

Micos de Crente [7]

- Humor Cristão -


1) Se você olhou para a foto e disse: "Que bonitinho, o menino sentado no mundo" Você tem sérios problemas...  

Algumas montagens como essa acima é separada como lixo pelo pessoal que odeia a inclusão digital, considerada tambem uma afronta contra os nerds, usuários mais experientes e um pedido para ser humilhado pelos Inter-Nazistas, os Mega Nerds!

Entenda a inclusão digital:

"Quando se inventou a inclusão digital, muitos que não eram usuários ativos da Internet e de fato não sabem nem a diferença entre CPU e gabinete entraram de cabeça em lan houses e chats de bate-papo, e fizeram sua "ocupação" usando péssimo uso de gramática e carinhas idiotas"  Desciclopédia

Portanto o garoto sentado no mundo é um mico de crente por infligir uma das leis da informatica e do mundo virtual que diz: Não farás montagens extravagantes e incoerentes

Pra quem ainda não achou nada incoerente vou expor alguns pontos e você mesmo vai analisar a imagem:

- O Garoto é maior que o Planeta Terra

- O Garoto está sentado em cima do Planeta Terra sem capacete e sem oxigênio

- Existe uma frase sendo escrita no ar, no nada "Deus é D+" 

Acho que até essa frase está errada, deveria ser DEUS É MAIS!

27 de dezembro de 2011

A VIDA




Jesus é o sopro que gera vida. É o respirar que faz corações baterem muito mais forte do que simplesmente batidas de “existência”. Ele é Aquele cujo só o nome é capaz de mover montanhas; principalmente aquelas montanhas que estão dentro do coração.
                                           
“Então, do pó da terra, o SENHOR formou o ser humano. O SENHOR soprou no nariz dele uma respiração de vida, e assim ele se tornou um ser vivo” Gn 2:7

                Se não for Jesus a presentear VIDA, não vai bastar somente terem corações vazios e almas apodrecidas, verdadeiros defuntos espirituais, só com a vida física, mas sem a mais importante: A VIDA espiritual.
“Derramarei meu espírito sobre toda carne”Joel 2:28 (Aqui a referência é carne como corpo mortal e não carne/pecado); nós carregamos muito mais do que nós mesmos, carregamos o sopro de Deus, o Espírito derramado e por isso mesmo  A VIDA não é só no âmbito espiritual. A VIDA também é carregada no corpo mortal, no coração, na mente, no racional. A VIDA espiritual é expressamente proibida de ser separada de nossas vidas estudantis/de trabalho/amorosas e etc. Se não seria impossível “amar a Deus com toda alma, coração, mente, entendimento e forças”. A vida com o Senhor é A VIDA, não tem divisão “espiritual, “material” e etc.

“Todos os que estavam ali choravam e se lamentavam por causa da menina. Então Jesus disse: - Não chorem, a menina não morreu; ela está dormindo. Aí começaram a caçoar dele porque sabiam que ela estava morta. Mas Jesus foi, pegou-a pela mão e disse bem alto: Menina, levante-se! Ela tornou a viver e se levantou imediatamente” Lc 8: 52-55

                Jesus é o sopro porque é movimento. Ele é o sopro da VIDA porque gera VIDA. Basta uma palavra dEle que mortos ressuscitam, vidas retomam o fôlego e toda nossa vida se torna muito mais fácil de ser mesclada à vida dEle. Sem O sopro dEle, não vai, não rola. O vale de ossos secos só recebe VIDA quando Ele decide desfiar a todos que zombam de sua capacidade, segura na mão do que Ele quer que seja curado, e diz bem alto – Levante-se! Transforme-se! Renove-se! Em mim. Aí o foco de sua cura torna a viver novamente, a  ter VIDA gerada por Aquele que segurou em sua mão quando tudo dizia que não havia mais jeito. E então esse alguém se levanta imediatamente, porque não dá pra continuar onde está quando você recebe VIDA, porque esse alguém é obrigado por si mesmo a mudar de posição, se levantar no ato e ir viver  A VIDA, simplesmente porque ela própria soprou em suas narinas, pegou em suas mãos e mudou sua vida em VIDA, para sempre.

Twitter: @arlenekanaki

Para Onde Olhar?

- Repense e Reflita - 


Olho para mim e vejo o Pecado

Olho para Ele e vejo a Santidade

Olho para mim e vejo a Mentira

Olho para Ele e vejo a Verdade


Olho para mim e vejo a Fraqueza

Olho para Ele e vejo a Força

Olho para mim e vejo a Vergonha

Olho para Ele e vejo a Nobreza

Olho para mim e encho-me de Medo

Olho para Ele e decido Ir

Olho para mim e choro em Segredo

Olho para Ele e começo a Sorrir


Parei de olhar pros meus erros

Passei a olhar pro meu Deus

E agora, confiante, decreto:

Vive Ele, pois meu Eu já morreu!

O Pastor [7]

- Humor Cristão -






26 de dezembro de 2011

Festival de quê mesmo?

- Repense e Reflita - 




Diretamente do Web Evangelista

E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus Altíssimo.E isto fez ela por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu. E, vendo seus senhores que a esperança do seu lucro estava perdida, prenderam Paulo e Silas, e os levaram à praça, à presença dos magistrados.
Atos 16:16-19  


Eu não assisti o tal festival de promessas, nem tive vontade para falar a verdade...
Mais tarde, visto que nem todos na minha casa professam a mesma fé que eu, passei pela sala e a TV estava ligada na Globo, passando um programa chamado "Esquenta", fui pro meu quarto, acessar meu facebook, e sinceramente, achei engraçada a situação por lá...

Crentes aos montes, reclamando, porque logo após o "FESTIVAL DE PROMESSAS" começou o "ESQUENTA". 

Esse foi um dos comentários: 
"Como é que essa turma tem coragem de aparecer com essas músicas depois de um show desses que acabou de passar? Fala sério!

Fico abismado, em ver, como o povo brasileiro, se ilude, com um simples show, que foi feito apenas, para ganhar IBOPE...

Mas eles estão falando no nome de JESUS.
Padre Marcelo Rossi também fala, aliás, esses dias eu passei na frente de um salão do Paiva Neto, e lá estava um adesivo colado, escrito:
Quem confia em Jesus não perde o seu tempo! 
Evangelho de meias verdades, não é evangelho, é Anátema...

Não estou tomando aqui, uma postura de Edir Macedo e chamando todo mundo de endominiado.

Mas Penso que, nem tudo o que, fala em nome de Jesus, é necessariamente dele.
A Rede Globo, famosa por apoiar, o Espiritismo e a homossexualidade, não está se aproximando do povo evangélico para criar laços, mas sim para explorar um mercado pra lá de prospero...

Pr David Domenicali, em seu Blog, fez um comentário muito feliz.
O que cresce não é o evangelho, mas o "mercado evangélico".

Vamos lá, correndo o risco de ser criticado, mas um servo não é maior que seu Senhor, se não aceitaram a opinião de JESUS, quem sou eu, para querer que aceitem a minha...
O fato é que louvor não liberta isso é papel da palavra do evangelho, se louvor libertasse Jesus, não precisava ter morrido.
Louvor é importante sim, mas guardemos as devidas proporções, eu congregaria com facilidade, numa igreja que só tivesse pregação e mais nada, mas não pararia um segundo, numa igreja que só tocasse louvores o tempo todo...

A Bíblia diz que a fé vem pelo ouvir, e ouvir a palavra de Deus...
Quer gerar fé em alguém?
Pregue o evangelho, cantar não adianta muito, quando a questão é salvação...


Hoje estamos aqui, povo evangélico, invadimos o Brasil, somos milhões, e o que mudou nessa nação?
Pelos frutos os conhecereis, disse Jesus.
Qual é o seu fruto?
Um festival de promessas na TV, enquanto missionários, estão passando fome, vivendo em cavernas, sendo condenados a morte...

 Hora de repensar nossos valores, povo de DEUS para que não venhamos ser o cumprimento da profecia que diz:
Porque o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca, e com os seus lábios me honra, mas o seu coração se afasta para longe de mim e o seu temor para comigo consiste só em mandamentos de homens, em que foi instruído (Isaias 29:13)

Pra finalizar, quanto, ao tema da postagem, fico com a citação do Pr Ciro Zibordi:
"Realizar Festival de Promessas é fácil. Difícil é promover um Festival de Mandamentos, Princípios e Doutrinas"

Por Lennon Carvalho

Fala Sério Varão: Super Crentes

- Eu Gosti - 


Os Super Crentes estão entre nós, e a força que os move é a Teologia da Prosperidade.


25 de dezembro de 2011

Raiz Sagrada - 25 de Dezembro

- Te Recomendo -



"Lá no céu há alguém que nos aguarda, sobre as nuvens, A Terra Natal"


É COMO FOGO QUE NÃO SE APAGA, É A CHAMA VIVA QUE ARDE NA LAREIRA, É COMO O RIO QUE LEVA A VIDA



24 de dezembro de 2011

Constantino

- Te Recomento -


Entenda como se formou a igreja institucionalizada (templos) Da junção de império e religião nasceu a igreja católica, homens matando e morrendo em nome de Jesus, liderados por um homem confuso e orgulhoso, Constantino. 





23 de dezembro de 2011

Noviças Rebeldes

- Humor Cristão -


As meninas apenas querem se divertir! (Lauper, Cindy)

Os Pastor e as ovelhas

- Repense e Reflita - 



Era uma vez, um visitante que percorreu a Síria e encontrou três pastores de Ovelhas que davam água a seus rebanhos junto a um poço.


As ovelhas estavam todas misturadas e um estranho pensava que se tratava de um único rebanho.


Passado um tempo, um dos pastores se levantou e disse: "Mene-ah" que em árabe significa: "vem comigo". Imediatamente, umas trinta ovelhas se separaram do grupo e seguiram o seu pastor morro acima, também o segundo pastor, afastou-se um pouco e exclamou "Mene-ah!" e seguiu com o seu rebanho. Admirado, o viajante perguntou:


- Suas ovelhas me seguiriam se eu as chamasse?


- Por que você não experimenta? - Indagou o pastor.


- E se eu usasse a sua capa e o seu cajado? Não achas que elas pensariam que eu sou você?


Sem dizer nada, o pastor ofereceu ao homem sua capa e seu cajado, e ficou observando com um sorriso nos lábios como o estranho chamava seu "Mene-ah!"


As ovelhas não lhe deram qualquer atenção.O pastor, então explicou:


- Elas não seguiriam a nenhum outro. Só a ovelha doente segue a um estranho.



"Em verdade, em verdade vos digo: O que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é um ladrão e salteador.Aquele, porém que entra pela porta, esse é o pastor das ovelhas. Para este o porteiro abre, as ovelhas ouvem a sua voz, ele chama pelo nome as suas ovelhas e as conduz para fora,depois de fazer sair todas as que lhe pertencem,vai diante delas, e elas o seguem, porque lhe reconhecem a voz; mas de modo nenhum seguirão o estranho; antes fugirão dele, porque não conhecem a vos dos estranhos."



"Eu sou o BOM PASTOR, conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o PAI me conhece a mim, e eu conheço o pai; e dou a minha vida pelas ovelhas"

(João:cap:10, vers:1-5;14-15)

21 de dezembro de 2011

10 Maneiras de reconhecer um Fariseu

- Repense e Reflita - 


Diretamente do Cristão Confuso

No meio cristão é usual associarmos a hipocrisia com o que chamamos “fariseu”, já que era Jesus quem denunciava-os publicamente dessa forma, sem se importar com a influência política que esses líderes religiosos da época tinham, a ponto de poderem conseguir penas capitais através do Estado dominante - no caso, Roma – como a crucificação, por exemplo. Fariseus tinham apoio público para seus atos, inquestionáveis, e exerciam a posição mais poderosa deste mundo: ministravam diretamente ao Deus Altíssimo, criador dos Universos.

Mas a pergunta que não quer calar é: você é um fariseu? Tem tendências a isso? Será?

1. Boas intenções originais justificando atos ruins
A seita dos fariseus surgiu em uma época anterior ao nascimento de Cristo, na época dos Macabeus – vide livros apócrifos na bíblia católica – quando a influência da religião helênica romana começava a trazer elementos à religião judaica (como o uso de imagens representando deuses) que descaracterizaram a Lei Mosaica, patrimônio nacional. Defender a manutenção dos valores da Lei era, além de apologia religiosa, garantia de que o Judaísmo não seria contaminado com abominações como a Idolatria.

Essa luta apologética pela preservação das Escrituras foi o marco inicial do grupo. Não demorou muito para que essa seita, que migrou para partido político, começasse a abandonar a força original, já que a liderança era passada de pai para filho, e os mesmo nem sempre tinham a mesma perseverança de seus antepassados, mas usando do prestígio do passado para se manter a frente, no poder.

2. A organização em nome de Deus é mais importante que Deus.
Jesus denunciou isso sistematicamente, não respeitando líderes daquele grupo por serem gente bem colocada socialmente. O mestre pedia contas a eles pelas responsabilidades que tinham em mãos, questionando a postura egocêntrica quando usavam de suas posições para beneficiar-se. O uso de retóricas religiosas para justificar atos perversos, e a incorporação desses atos como regras a serem usadas em benefício próprio, mesmo quando isso não é compatível com os preceitos no qual, originalmente, se propôs quando ingressou na organização é típicamente farisáica. A tradição de um sistema, mesmo que claramente perverso, para um fariseu, é mais importante do que a religião defende.

3. Não existir policiamento para quem faz policiamento é uma benção
Um dos detalhes que mais aborreciam o Mestre era o fato dos fariseus “aperfeiçoavam” cada vez mais as Leis e não às cumpriam.
Era comum entre os “rabinos” a discussão sobre determinados pontos da lei, como por exemplo, o cumprimento do sábado sagrado: Se um discípulo, quando questionado sobre quanto se pode caminhar em um Sabath respondesse 10 quilômetros , e outro 2 quilômetros, aquele que deu uma margem mais “dura” era tido como um bom discípulo, enquanto o que dava uma distância menor era tido como “liberal”, um “abolicionista da Lei”. Jesus acusava-os de inventar preceitos rígidos, fardos pesados, para cobrar dos outros o cumprimento, mas nem de longe cumpriam. Uma regra mais justa é melhor elaborada quando o próprio policiamento se policia. Isso pareceria muito mais com misericórdia, sentir a dor alheia.

4. Inventar regras para evitar debates:
A interpretação da Lei com textos fora de contexto - assim como fazem com a Graça hoje – muitas vezes foi artifício montado para evitar questionamentos de mentes mais ávidas. Jesus questionou essa postura e - sendo conhecedor da Lei( que Ele mesmo criou) – não dava brecha para esse tipo de invenção. O messias, não saindo do contexto e não estando atado a proteção de nenhuma organização religiosa, explanava as reais razões e motivações que originavam a criação da Lei. O Legalismo ainda hoje é uma forma eficaz de calar bocas, embora não passe de falácia.

5. Máscaras
A aparência na vida de um fariseu é primordial. Diferente de um político – que necessita da projeção para ganhar votos – o religioso, que tinha seu cargo assegurado por ser de descendência, exige que os lugares de honra, assim como exige que os que vivem a sua volta o tenham como uma espécie de ser sagrado, o que Jesus nunca fez.
6. Em nome da proteção da Lei, ele quebrará a Lei.
Está escrito “Não matarás”, “Não dará falso testemunho”, mas para calar a boca de Deus, os fariseus ignoram fatos e quebram o Mandamento, não explicitamente, mas com a desculpa de que, na verdade, estão destruindo o inimigo da Lei. Pregadores da Justiça cometendo injustiças para que a suposta Justiça prevaleça.

7. Fariseus perdem o foco sempre que sua teologia é confrontada.
Kemuridama é um artificio ninja para escapar de determinados confrontos, uma pequena explosão de fumaça que oculta a fuga do guerreiro. Jesus – e mesmo o apóstolo Paulo – usou a “ressurreição” como kemuridama quando estava entre fariseus e saduceus, grupos de pensamento contrário sobre o assunto, deixando de ser o foco de ataque, deixando que se engalfinhassem com suas infrutíferas discussões sobre o sexo dos anjos.
Paulo conhecia o artifício tão bem que alertou contra ele, quando soube que haviam alguns assumindo linhas “teológicas” de Apolo, Pedro ou Paulo. “estaria Jesus dividido?”. Ainda pode-se ver hoje discussões acaloradas sobre a compreensão adotada (vide Calvinismo x Arminianismo).

8. Seguir a Lei só quando é conveniente.
Por tradição, o filho do sacerdote do templo deveria assumir o sacerdócio e cumprir toda a Lei. Na época de Jesus, o sacerdote herdeiro não estava no templo, mas no deserto, não tinha vestes sacerdotais, mas pele de camelo, substitui a alimentação levítica por gafanhotos e mel. João Batista era filho de Zacarias, mas quem estava no comando dos “negócios” do templo era dois parentes, Anás e Caifás, genro e sogro. Se houvesse zelo como defendiam aqueles fariseus, certamente não assumiriam a posição que não lhes pertencia, nem quebraria a preciosa tradição, já que existe apenas um sumo-sacerdote, e não dois, intercalando-se ano a ano. A necessidade de projeção social fez com que fizessem vistas grossas àquela situação óbvia, e ignorar a Lei aqui seria prejudicial.
Muitas igrejas mantém regras obviamente erradas para manter em beneficio aqueles que a criaram, apesar de serem nitidamente injustas e incondizentes com o Cristianismo que buscam defender.

9. Por trás da aura angelical, ira belicosa.
Todo fariseu posta certo ar de equilíbrio quase zen-budista. Isso dá segurança aos que veem como referencia espiritual. Isso é uma arte. Alguns exageram, ficam com trejeitos estranhos, esquisitisses. Na intimidade, são pessoas comuns, até agressivas, e algumas até perversas. Isso é comum quando a necessidade da aparência suplanta a necessidade intima de conversão.

10. Mentiras em nome de Deus
Um fariseu conhece a Palavra, isso é fato. Somando-se a sua aparência de legítima santidade e o reconhecimento público de suas insignias, uma mentira ou outra, usadas por “causa justa” jamais serão questionadas. Quem, em sã consciência questionaria um servo de Deus e correr o risco de ser fulminado pelos céus por petição desse servo?
Mentiras ajudam a manter o rebanho, reforçam verdades universais com pequenas distorções benéficas aos cofres, colaborando na manutenção e expansão do reino (com letra minúscula mesmo).
É a forma mais rápida de se atuar em nome de Deus quando o Espírito não tem mais vez nas escolhas da comunidade.


Por Zé Luiz

O Natal segundo o Profeta Erezias

- Repense e Reflita -


Uma reflexão herége sobre o significado do Natal. Feito por @Erezias e @clarkrent

20 de dezembro de 2011

O trabalhar de Deus


Havia, numa nada pacata cidade de interior, uma igreja que tinha um número bom de jovens. E eram jovens cheios de paixão pelo Senhor. Esses jovens organizaram uma cantata e sem muito tempo para grandes ensaios, trabalharam duro e deram seu melhor. Não se continham de expectativa em agradar a Deus no grande dia da ministração. E o dia chegou. E foi benção. E adoraram a Deus. E tiveram grandes experiências.
            Os meses se passaram e no mesmo ano, esses jovens decidiram fazer outra cantata. Da mesma forma trabalharam, deram duro e em três meses ali estavam eles para ministrar outra vez. A princípio, seria somente um dia de ministração da cantata como na anterior, mas alguém deu a ideia de fazerem em dois dias, sábado e domingo. E alguém já direcionado por Deus.
            O primeiro dia da segunda cantata do ano chegou e todos estavam alegres. Passaram o dia todo na igreja arrumando a iluminação e dando os últimos retoques no som, música e tudo mais. E finalmente o relógio marcou: 19:30 e a cantata começou. Só que algo estava errado. Algo estava desconjuntado. As falas do teatro se embolaram. O coral errou a entrada logo na primeira música! A caixa de som do retorno gerou inúmeras microfonias de estourar os tímpanos de qualquer um, e depois ainda parou de funcionar. E por isso o som geral diminuiu, o grupo ficou sem referência e todos ficaram inseguros. Por não ouvir direito a referência, o coral errou gravemente outra entrada de música. Ao chegar ao fim, a maestrina colocou as mãos nos olhos e chorou. O grupo todo se frustrou. E ao ir lanchar depois de terminado o culto, eles conversavam. Rolaram até lágrimas.
            O que aconteceu?? O que aconteceu?! Hum. O trabalhar de Deus, isso que aconteceu. Duas situações aconteceram ao grupo: Metade foi insegurança porque agora eles tinham uma aula de canto e aprenderam muitas técnicas a serem aplicadas e estavam com receio de “errar” e sem contar a preocupação com que toda a igreja ia achar. A segunda foi o “salto alto”, ou seja, a confiança de achar que sairia tão “bom” quanto da última vez. Mas o que o grupo havia se esquecido, é que da última vez eles foram com a humildade pura de quem não sabia muito, mas estava disposto a adorar a Deus com o que tinha. E se esqueceram também que da última vez eles foram preocupados mais com o que Deus ia achar do que com o que os homens iam achar. Na primeira cantata, aconteceram erros de som, mas pra cada um deles era aquela coisa natural do “acontece; não vamos perder o foco do porque estamos aqui”, já na segunda cantata cada erro era como um tiro no coração, que fazia o grupo até recuar, na maneira figurada de dizer.

            E foi nítido o aprendizado. E foi nítido o trabalhar de Deus na humildade, na dependência. “Ei, vocês não são nada sem Mim não, ein. Podem ter a voz mais perfeita do mundo, a referência melhor possível, encher os olhos dos homens, mas se não fizer brilhar os meus, de nada vai adiantar” E foi como um baque. O ministério todo, cada um em sua mente “Deus trabalhou”, e aí eles puderam aprender que quando se preocupa muito com o que homens vão pensar, com muitos detalhes técnicos, arrumações, afinações e tudo mais (não que isso não seja necessário, porque é e muito, devemos fazer a obra com excelência, mas nunca deixar isso ultrapassar o foco principal da adoração ao Pai) e tira-se o foco do principal que é a adoração a Deus.. as coisas saem como saíram. O grupo errou coisas que nem nos ensaios haviam errado e com isso Deus mostrou mais uma vez quem é que manda. Não porque Ele precise esfregar na cara da gente que Ele é o maior de todos, o Soberano, o Dono de tudo; mas porque a gente precisa aprender isso pra poder viver uma vida de humildade, amor e dependência dEle. E situações como essa precisaram acontecer ao grupo pra eles verem que sem Deus não rola, não vai, não engata. Deus tem um coral de anjos com uma afinação perfeita e harmonia sem igual só pra Ele o tempo todo e porque circunstâncias Ele sairia desse lugar extraordinário pra poder se mover no meio dos louvores do Seu povo (Sl 22.3)? Só se esses louvores forem de coração, em Espírito e em Verdade. Só se esses louvores tiverem uma essência de amor tão grande a ponto do Criador do Universo se mover nele. Mas e se forem só músicas com letras de adoração, mas que quem canta está preocupado mais com a afinação, se o som está bom, o porque da caixa de som estar dando problema... sinceramente? Ele passa longe de algo assim.
            Mas o grupo aprendeu. Ô se aprendeu. E a maestrina, no segundo dia de cantata, horas antes do início, ainda ousou ir além e propor a pergunta: “E se hoje acontecer que nem ontem? Com todas as falhas? Estaríamos dispostos a cantar mesmo assim?” Que difícil...mas aí o que veio à mente naquele momento foi: Se for de coração e se os louvores forem verdadeira adoração, podem acontecer os maiores erros técnicos do mundo, que Deus não vai ligar. E nem eles. O objetivo primordial deveria ser adorar e ser usados por Deus através dessa adoração pra tocar ao menos um coração que fosse. E a maestrina ainda se atreve a mais e disse: “E se a luz acabar no meio da cantata? Nós vamos continuar louvando, porque o que a nossa adoração depende é do coração disposto a louvar ao nosso Rei, ou vamos “tremer na base” porque o instrumental acabou?”
            E nas horas que se seguiram, tudo foi diferente. O teatro fluiu como pessoas que estavam ali gritando em espírito “Glorificado seja o Seu nome Senhor!”, apesar das falas serem totalmente diferentes disso. E no início da primeira música a energia acabou. E eles continuaram louvando, com a certeza de que sim, Deus estava ali e nada ia parar aquela adoração.
            Todo o ministério terminou o projeto da cantata bem diferente de como havia entrado. E Deus realmente trabalhou nas vidas e provou mais uma vez que a adoração é algo importante, sério, de coração e mais gratificante do que qualquer outra coisa no mundo. E mais, ensinou que a adoração também é mais do que só cantar...ela é o mover da vida. Porque se o autor da vida se move nela... E mover de vida gerada em cada ação em nossas vidas, por mais mínimas que forem.

Twitter: @arlenekanaki