Páginas

13 de dezembro de 2011

Fagulhas do Amor de Deus: Budismo


A Paz do Senhor hermanos e hermanas!
Muitos cristãos estão despreparados na arte de pregar o evangelho para pessoas que já sigam uma determinada religião e esses cristãos acabam tendo preconceito com essas pessoas, lembrando que cada pessoa é uma alma que precisa ser salva por meio de Jesus mas pessoas que não tem o conhecimento de Deus e do seu imenso Amor, seu papel não é provar que Deus existe mas dar as boas novas, e essas boas novas implica em ouvir primeiro o que a pessoa tem a dizer para saber como falar sem ofender e sem desrespeita-la.

Uma pessoa chamada Sidartha Gautama viveu na Índia mais ou menos no século 5°A/C, não teve nenhum tipo de contato com o Judaísmo, com a bíblia, com o monoteísmo, com Deus, viveu antes de Jesus, mas tem uma história interessante e é bom para a gente refletir um pouquinho

Sidartha era da classe dos Rajás, ele era filho de um "rei", por assim dizer, e na Índia nessa época a gente tinha uma chamada sociedade de castas, as pessoas eram divididas em classes sociais e elas ficaram consideradas parte de um deus chamado Brama, então dependendo da classe social que a pessoa fosse, por exemplo a dos chamados "intocavéis"  as pessoas não podiam encostar nem na sombra dela, ela era considerada a pior coisa da sociedade, ou na classe a qual o Sidartha Gautama pertencia elas eram quase consideradas deuses, elas eram adoradas como se tivessem poderes magicos, e normalmente ficavam isoladas em palacios, em locais "santos" e separado.

Sidartha Gautama casa muito cedo, tem um filho, vive uma vida isolada e reclusa, conta a história dele que sempre tinha muita vontade de sair do palacio, por ser colocado em um "mundo de ilusão", quando ele sai do palácio pela primeira vez e tem contato com doenças e mortes ele se assusta com aquele mundo, fica horrorizado com aquela história, a principio acredita que não era verdade, que aquelas dores do mundo não pudessem existir, porque ele sempre tinha sido escondido de tudo isso, só que ele tomou uma postura diferente do que as pessoas daquela época tomavam que era "É fazer o que né...", ele resolve que ele ia dedicar a vida dele tentando arrumar uma "Cura para a morte", "Cura para aqueles males". 

Sidartha Gautama abandona o palácio, o luxo, a riqueza, entrega os bens que ele tinha para as pessoas pobres e busca na própria religião dele, daquela região onde ele morava, uma solução para aqueles poblemas, segundo aquela religião, para se libertar dos males desse mundo e atingir o contato com o "divino", porque eles não tem idéia de um Deus, pelo contrário, eles tem milhares de deuses, as pessoas deviam fazer o oposto daquilo que elas gostavam, fazer o oposto do que o seu corpo desejava.

A gente tem de exemplo os Faquires dormindo lá em suas camas de prego, porque gostam de conforto então deveriam morar no oposto do conforto, ou para os que gostam de comer, Jejum praticamente complexo, assim de quase qualquer tipo de comida a não ser algumas sementinhas minimas para poder sobreviver.

O Sidartha Gautama vive alguns anos tentando buscar a tal iluminação dessa forma mas simplesmente viu que não adiantava nada, aquilo não melhorava nada a situação de ninguem e ele continuou vendo que ele morreria, seu filho morreria, as pessoas morreriam e sofreriam, não achou muita solução nisso, até que depois de alguns anos seguindo esse grupo, ele tem uma espécie de "estálo" e ele chama de uma "iluminação".

Estaria passando por perto um professor ensinando um aluno como ele deveria afinar as cordas, e o professor diz:
- Olha, se você aperta demais a corda ela estoura, mas se você não aperta a corda ela fica bamba e aí não toca, você precisa apertar na medida certa.

E o Sidartha Gautama ouvindo essa história precebeu que a mesma coisa era com o próprio corpo, se fazia o oposto do que gostava, o oposto dos prazeres do corpo, ele ia acabar morrendo, e ao mesmo tempo que se entregasse aos prazeres do corpo, ele não ia servir para coisa nenhuma, que ele precisava achar um meio termo.

Depois desse episódio ele declara o tal "caminho do meio" que seria então não fazer o oposto daquilo que você quer ou não quer, mas dedicar a sua vida a ajudar outras pessoas, e essa questão da dedicação ao próximo de uma vida que ao mesmo tempo era de meditação para tentar encontrar uma iluminação, desse nome que ele nem chegou a estabelecer, as vezes aparece o nome NIVERNA como sinônimo de paraíso mas NIRVANA não é um local, ele é um estágio de união de espirito com algo maior, ou seja, quase é a nossa idéia de Deus.

Então essa meditação para encontrar Deus e dedicação as outras pessoas são os seus ensinamentos aos seus seguidores, ele convence a todos seus seguidores a abandonar tudo que tem e se dedicarem as outras pessoas, e o nome que ele recebe como "Encontrei a iluminação dessa forma" é BUDA; Sidartha Gautama foi então o primeiro Buda, Buda então é o iluminado, é claro que em momento nenhum ele está falando de Deus, ele não conhecia nem nunca tinha ouvido falar, mas pelas atitudes dele de dedicação ao próximo, e a sua postura de não querer aceitar as coisas que existiam mas querer o contato com esse  ser superior que ele não conhecia o nome, essas atitudes me fazem acreditar que se ele tivesse tido a chance de se encontrar com Jesus, certamente ele teria sido seguidor de Jesus.

É Claro que a gente assim como no cristianismo os seguidores de Jesus acabam deturpando muitas vezes o que ele falou, apesar de Jesus ter vivido na pobreza e ter se dedicado aos outros a gente pode ver igrejas lotadas de ouro em todos os cantos, isso também acontece dentro do budismo, se a vida do primeiro buda foi na pobreza como a gente vê então estatuas de 30 metros de ouro de buda em um lugar, pessoal fazendo peregrinação no templo pra estar dando comidinha na boca da estatua do buda, pois é, em momento nenhum ele diz que queria que fizessem uma estatua de ouro dele.

Então sem querer criticar o budismo, queremos aqui abrir um canal para que as pessoas que vão estar levando a mensagem de Jesus, a mensagem das boas novas, a mensagem da salvação, ou seja, o evangelho, possam chegar tambem aos budistas, os seguidores do Sidartha Gautama e possam usar tambem o próprio criador da religião deles como exemplo, porque ele buscou tudo que Jesus ofereceu e falou, falar para esses seguidores que existe sim pontos de contato entre os dois e se você quer pregar o evangelho, levar as boas novas, a pior coisa que você vai poder falar para um budista é o que tenho visto muito acontecer por aí "Ahh Budista é seguidor do demonio" e começa a jogar um monte de acusação do pessoal sem ter a menor idéia do que é aquilo que você está falando ou se realmente tem alguma coisa de demoniaca na religião, mas e o que tem de bom? O que tem de ponto de contato com Jesus e pode ser aproveitado pra falar do evangelho? Porque é assim que você vai chegar até as pessoas, o que já está no coração e mostra o que é aquilo pode ser visto pelo cristianismo e mostrar que aquilo também vem de Deus, vem do mesmo Amor de Deus que Cristo prega, do mesmo Amor que Jesus diz que Deus é Amor, do mesmo Amor que faz Jesus se entregar para salvação da humanidade. Então é isso, Para nossa reflexão e também para tentar levar uma mensagem de boas novas de Amor pros budistas.
Texto: Leandro Villela




3 comentários:

  1. Procure saber mais sobre o Budismo! É muito fácil entrar na internet, colar alguns textos e tentar mostrar às pessoas leigas que a sua religião é melhor ou superior que outra, seja ela qual for. A prática do budismo é mais do que acreditar em um Deus! É descobrir que quem traça o seu caminho é você mesmo! É descobrir seu próprio eu! É procurar ser uma pessoa melhor, não somente consigo, mas com os outros, promover a paz. Então, respeite o Budismo e não fique tentando arrumar argumentos na religião alheia, e ainda sem conhecer. Tenha um bom dia!

    ResponderExcluir
  2. Irmão Douglas...Não tenho religião.

    Não sei onde você viu que eu estava criticando ou mostrando que minha "religião" é melhor que as outras.

    O que está escrito é verdadeiro, a história do primeiro buda, o começo do budismo, e suas crenças, mostrei que não era algo do diabo como muitos pensam, mostrei que essa religião se trata apenas de um homem tentando encontrar uma utilidade em sua vida e que descobriu que ajudar o próximo era a melhor forma de ser útil. Isso é criticar? Cade o desrespeito da minha parte? Se tu é budista ta dando um show de falta de educação, creio veemente que os budistas não são assim como voce...

    ResponderExcluir
  3. Jesus falou que é o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai ao não ser através dele. Somente com a verdade as pessoas teram a oportunidade de escolher se querem seguir os ensinamentos de Cristo ou não. As boas noveas não precisa de maquiagem para ser bem vista pelos outros , mas apresentada com amor e poder do Espírito Santo. Paulo ao evangelizar declarava a verdade que é a palavra , só ela penetra no interior do homem e o convence da mudança! Não existe associação entre trevas e luz! Sim, sim, não, não! O que passar disso é do Maligno!

    ResponderExcluir

Comentem!
Comentem!